Sessão sobre a reforma trabalhista no Senado já começa com troca de farpas

Logo no início da sessão houve uma pequena confusão entre parlamentares da oposição e a presidente da comissão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/06/2017 11:15 / atualizado em 20/06/2017 11:19

Ed Alves/CB/D.A Press

 

Começou pouco antes das 10h30 desta terça-feira, 20, a sessão da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado que votará o relatório da reforma trabalhista. Senadores governistas trabalham com a expectativa de que texto deverá ser aprovado pelo placar de 11 a 8, ou com vantagem de 12 a 8, conforme o quórum da votação.



Por volta das 10h38 teve início o debate sobre a reforma que, segundo a presidente da CAS, Marta Suplicy (PMDB-SP), terá uma hora e meia de duração. Depois, o relatório deverá ser votado na Comissão. Às 10h40, a sessão contava com a presença de 15 senadores.

Logo no início da sessão houve uma pequena confusão entre parlamentares da oposição e a presidente da CAS.

O líder do PT, Lindbergh Farias (PT-RJ), pediu a palavra para reclamar da continuidade da tramitação do tema na Casa mesmo após a entrevista concedida por Joesley Batista à revista Época. Marta reagiu e o senador fluminense pediu calma à presidente da Comissão.

"Não tem de acalmar nada. Respeite o combinado", respondeu a senadora paulista. A troca de farpas continuou com novo pedido de calma de Lindbergh Farias. "Olha o machismo e se cuida", rebateu Marta. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.