'Em brevíssimo tempo', juros cairão à casa de 1 dígito, diz Temer na Rússia

O presidente mencionou ainda as reformas em curso - sem fazer alusão alguma à reforma trabalhista, que enfrentou uma derrota na terça

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/06/2017 10:28

Beto Barata/PR/Palácio do Planalto
O presidente da República, Michel Temer, reuniu-se por mais de duas horas com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, nessa quarta-feira (21/6), no Kremlin, em Moscou. Na oportunidade, o brasileiro afirmou que os juros praticados pelo Banco Central vão "em brevíssimo tempo" cair à casa de 1 dígito.

O encontro bilateral foi o primeiro desde o início da gestão do brasileiro. Em um rápido diálogo aberto aos jornalistas, Putin lembrou que a cooperação bilateral é estreita tanto no interior dos Brics, quanto no G-20, e que o Brasil "é um dos principais parceiros na América Latina". O presidente russo lamentou a queda no comércio bilateral em 2016 e disse que os dois países devem trabalhar para aprofundar as trocas.

Temer afirmou que está em sua quarta visita a Moscou e em um segundo encontro com Putin. E que os resultados têm sido "sempre muito positivos". "Temos economias parecidas", disse. 

O presidente mencionou ainda as reformas em curso - sem fazer alusão alguma à reforma trabalhista, que enfrentou uma derrota na terça (20/6), na Comissão de Assuntos Sociais do Senado -, o combate à inflação e a política de juros. "Em brevíssimo tempo teremos juros de 1 dígito no País", disse Temer. 

Temer defendeu ainda um diálogo franco e aberto no G-20 e no grupo de grandes emergentes BRICS, além das Nações Unidas, "onde nós defendemos sempre as mesmas teses".

Ao final da reunião, Temer e Putin farão uma declaração conjunta e assinarão acordos bilaterais.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.