Para ministro do Planejamento, situação fiscal piorou no governo Dilma

"Os números falam por si. Nos últimos cinco anos, houve deterioração do quadro fiscal", disse Dyogo Oliveira, ao ser questionado na CMO

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/06/2017 18:06

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, reconheceu que o quadro fiscal piorou nos últimos cinco anos, principalmente, durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff.  “Os números falam por si. Nos últimos cinco anos, houve uma deterioração não no quadro fiscal. Não há como negar que isso aconteceu”, disse Oliveira, nesta terça-feira (27/06), ao ser questionado pela senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) sobre a avaliação do governo anterior, do qual ele fez parte e até foi vice-ministro da Fazenda da ex-presidente Dilma.


Oliveira participa de audiência pública na Comissão Mista de Orçamento (CMO). Em sua resposta ele citou a evolução da dívida pública bruta, que passou de 51,8% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2014, para 77% do PIB, neste ano, como reflexo da piora nas contas públicas no governo anterior.  “O que podemos observar é que houve deterioração fiscal que foi acompanhada com o aumento das despesas com juros”, disse ele, comparando a situação das contas públicas ao quadro de um doente enfermo. “A despesa com juros é a despesa com a saúde. Portanto, a saúde fiscal é fundamental e nunca defendemos nada diferente disso”, afirmou. “Nossa convicção é que o crescimento do país virá com ações necessárias para equilibrar o caixa do governo. Não podemos gastar só no cheque especial e isso é o que está acontecendo”, afirmou Oliveira. 

O ministro contou que a senadora sempre faz essa pergunta para ele quando ele está no Congresso Nacional. “Ainda bem que ficou para ouvir a resposta. Eu digo sempre que sou servidor público de carreira. Não tenho outra opção a não ser participar do governo e espero continuar nos próximos porque não tenho outra opção profissional Estarei sempre à disposição”, completou.
Tags: cmo
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.