Comissão Mista do Congresso analisa MP da reoneração da folha de pagamento

O texto original previa que a medida entraria em vigor em 1º de julho deste ano, com um reforço de R$ 2,1 bilhões nas contas do governo em 2017

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/06/2017 16:51

A Comissão Mista do Congresso Nacional que analisa a Medida Provisória 774 - da reoneração da folha de pagamento para 50 setores da economia - irá retomar nesta tarde de quarta-feira, 28, a discussão sobre a proposta de parecer apresentado na semana passada pelo relator da matéria, senador Airton Sandoval (PSDB-SP). Ele propõe adiamento da medida para o começo de 2018. O texto original previa que a medida entraria em vigor em 1º de julho deste ano, com um reforço de R$ 2,1 bilhões nas contas do governo em 2017.


O governo enviou em março ao Congresso Nacional a medida provisória acabando com a desoneração da folha para quase todos os setores que vinham sendo beneficiados com a medida. A ideia era que passassem a recolher a contribuição previdenciária sobre os salários pagos, e não sobre a receita.

Representantes de setores afetados lotam o auditório do Senado onde será realizada a sessão da comissão, tentando convencer os parlamentares que chegam a votarem pelo adiamento, ou até mesmo pela derrubada da reoneração. A MP 744 de fato corre o risco de caducar, se o Congresso não votá-la até 10 de agosto - prazo que considera o recesso dos parlamentares.

 

Leia mais em Economia


Alguns contribuintes, inclusive, já recorreram ao Judiciário alegando que a mudança legal que reonera a folha de pagamentos não pode valer para este ano, já que a lei prevê que o contribuinte não pode fazer a mudança entre as modalidades previstas (contribuição sobre o faturamento ou sobre a folha de pagamentos) no mesmo exercício.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.