Comissão da Câmara vai definir relator de denúncia contra Temer

Defesa do presidente quer diminuir influência da prisão de Geddel Vieira Lima no caso

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/07/2017 14:39

 AFP / EVARISTO SA
 
 
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara deu início, por volta das 15h da tarde desta terça-feira (4/7), a sessão para definir o relator da denúncia contra o presidente Michel Temer. Pelo rito definido pelos líderes da casa com o presidente Rodrigo Maia, a defesa vai protocolar amanhã as argumentações para derrubar a acusação, ficando a sustentação oral pelo advogado  ntonio Claudio Mariz prevista para quinta-feira (6/7). A intenção é que até o dia 17, data marcada como limite antes do recesso parlamentar, o relatório seja votado no plenário da casa. 
 
 
O vice-líder do PMDB, deputado Carlos Marun (MS), afirmou que nesse momento não é o caso de se convocar para a CCJ o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ou o empresário Joesley Batista. Para ele, apesar de os dois personagens terem um papel de relevância no caso, o rito do processo na comissão é sumário. 
 
Marun também não quis avaliar o impacto da prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima no ânimo dos parlamentares. “A não ser que alguém aqui esteja com medo de ser preso. Eu não estou. Aliás, o que deveria ser perguntado é se essa prisão foi decretada para influenciar o caso. Eu espero que não”, refletiu.
 
Para um dos advogados do presidente Temer, Gustavo Guedes, o esforço será para que esse episódio não contamine o debate do assunto na casa. “Fizemos isso com êxito no julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quando impedimos que elementos externos influenciassem o juízo. Tentaremos fazer isso aqui também”, disse o advogado.

Tags: câmara temer
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.