Publicidade

Estado de Minas

Manifestantes queimam cruzes na frente do Congresso

Ato contra a reforma trabalhista perdeu força com o adiamento da sessão no início da tarde


postado em 11/07/2017 21:01 / atualizado em 11/07/2017 21:48

(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)

 

Por volta das 19h30 desta terça-feira (11/7), pouco antes da aprovação da reforma trabalhista no Senado, manifestantes atearam fogo às cruzes que estavam em frente ao Congresso desde a manhã. O Corpo de Bombeiros foi acionado. As autoridades ameaçaram remover o carro de som da Central Única dos Trabalhadores (CUT) do local, mas não prosseguiram com a ideia. O final do ato contra a reforma tinha cerca de 60 pessoas: uma boa parte do público de mais cedo deixou a manifestação quando a sessão foi adiada.

 

Leia mais notícias em Economia 

 

Várias cruzes foram instaladas em frente ao Congresso ao longo do dia. Cada uma delas representa um direito trabalhista que, na visão dos manifestantes, será “assassinado” pela reforma trabalhista. À noite, os manifestantes também projetaram as frases "Fora Temer" e "Fora Maia" no prédio do Congresso Nacional. 

 

(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
 

 

Apesar dos protestos, não houve interdição do trânsito na Esplanada dos Ministérios. 

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade