Temer: aprovação da reforma foi "uma vitória para todos os brasileiros"

Na avaliação de Temer, as mudanças nas regras são "a via rápida para novos empregos"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/07/2017 22:59 / atualizado em 12/07/2017 13:31

O presidente Michel Temer comemorou a aprovação da aprovação da reforma trabalhista, na noite desta terça-feira (11/07) pelo Senado Federal. E um pronunciamento de pouco mais de cinco minutos, Temer afirmou que o resultado da votação, com 50 votos favoráveis e 26 contrários e uma abstenção, “foi uma vitória de todos os brasileiros”.
 
 
“Essa aprovação definitiva da proposta é uma vitória do Brasil na luta contra o desemprego e na construção de um país competitivo”, disse Temer, destacando que a reforma é uma das “mais ambiciosas dos últimos 30 anos”. Como constituinte, ele lembrou que “desde a Constituição de 1988, o país aguardava uma nova legislação trabalhista”. Em meio à sangria da crise política, Temer não perdeu a oportunidade de contabilizar o resultado no Senado, contando que se empenhou na proposta desde o primeiro dia de seu mandato. “É com muita satisfação que eu digo que tive coragem de propor essa mudança fundamental para o país e, portanto, para todos os brasileiros”, afirmou.
 
Temer disse ainda que a reforma pode ser resumida da seguinte forma “singelíssima”: “Nenhum direito a menos, muitos empregos a mais”. De acordo com o presidente, a nova legislação “criará novas relações trabalhistas adequadas à realidade atual e preparara nosso mercado de trabalho às demandas do presente as exigências do futuro”.  “A modernização trabalhista, portanto, é a via rápida para novos empregos. Os trabalhadores e os empregadores poderão fazer acordos que garantam empregos e sejam adequados às suas realidades, tudo com a proteção da lei”, garantiu. “Os tempos mudaram e as leis precisam se adaptar. Nosso governo está conectado com o século XXI”, completou ele, acrescentando que o país está retomando o crescimento, com inflação sob controle e queda na taxa de juros.
 
Temer voltou a destacar que, em 13 meses de governo, conseguiu, “com diálogo e respeito ao contraditório”, fez muito até o momento. “Estamos trabalhando hoje para que o amanhã seja de prosperidade e riqueza”, alegou ele, agradecendo à presença “extraordinária” do Congresso Nacional nas discussões da reforma trabalhista. “Tivemos a satisfação verificarmos que o que o Brasil caminha cada vez mais para a modernidade. Esta é uma vitória de todos os brasileiros”, finalizou.
 
Na saída, do Salão Leste, ao ser questionado se a relação com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, cotadíssimo pelo mercado e por parlamentares da base aliada para substituí-lo no caso de um afastamento, azedou, ele negou com a cabeça e disse que é “a melhor possível”, com a mão erguida e mostrando um sinal de positivo.
 
O texto base da reforma trabalhista foi aprovado com 50 votos favoráveis e 26 contrários à mudança nas regras da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Houve uma abstenção. A matéria seguirá para sanção presidencial e ainda não há uma data prevista para a assinatura de Temer.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.