Pedidos ao governo passam por ônibus, trator e ambulância

Deputado Wladimir Costa (SD-PA) admite ter uma lista bem grande para solicitar ao presidente Temer e aos ministros em troca de apoio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/07/2017 16:25 / atualizado em 18/07/2017 17:03

Enquanto muitos parlamentares aproveitam o recesso e viajam para suas bases, outros resolvem fazer um périplo pela Esplanada dos Ministérios com o pires na mão pedindo agrados em troca de apoio para barrar a denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer feita pela Procuradoria-Geral da República (PGR) na Câmara dos Deputados em agosto. É o caso do deputado Wladimir Costa (SD-PA), que chegou no início da tarde desta terça-feira (18/07) ao Palácio do Planalto para se encontrar com o chefe de gabinete da Secretaria de Governo, Carlos Henrique Menezes Sobral.  
 
 
Além da Secretaria de Governo, Costa informou que tem reuniões marcadas nos ministérios da Saúde, das Cidades e da Educação e está claramente pedindo apoio dos amigos para interferirem junto ao presidente Temer para atender seus pedidos. “Vou me encontrar com quatro ministros hoje”, disse. “Em plenas férias, estou aqui correndo atrás”, emendou Costa. Ele reconheceu que o momento é uma oportunidade para quem é da base aliada para conseguir liberar emendas. “Não vamos ser egoístas. É uma oportunidade sim de bater nas portas, sabendo que a gente é da base de apoio do presidente. A gente vai usar isso e pedir”, afirmou, sem pudor algum. “Vou pedir emenda, vou pedir ônibus, vou pedir ambulância, vou pedir trator, vou pedir dinheiro para recurso, vou pedir construção de creches e hospitais. Eu vou pedir tudo. A lista aqui é grande”, brincou ele, acrescentando ter uma “expectativa hiperpositiva” de que as demandas serão atendidas.
 
Costa contou que, como tem 14 anos de casa, construiu muitas amizades em Brasília e, no momento, vem trabalhando para abordar os parlamentares que estão em cima do muro para puxar para o cordão do “fica Temer”. Ele reconhece que há divergências em seu partido. “Mas a maioria da rapaziada é a favor do presidente”, disse.  
 
Vale lembrar que, ontem, Rede e PSOL protocolaram duas representações na PGR pedindo que Temer seja investigado pela liberação de emendas parlamentares às vésperas da votação da denúncia contra ele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara,  na semana passada.
 
Apesar do recesso, Temer não deixou de receber parlamentares em seu gabinete. Começou pela manhã com a deputada Tereza Cristina (PSB-MS), líder da legenda na Câmara dos Deputados. O partido declarou saída da base aliada após a denúncia da PGR, mas o presidente tenta cooptar os divergentes, como é o caso de Tereza, que apoia as reformas do governo. Ao longo do dia, o presidente tem reuniões com vários ministros.
Tags: temer
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.