Justiça derruba liminar e libera aumento de impostos sobre combustíveis

De acordo com o recurso apresentado pela AGU, por dia, o governo perderia R$ 78 milhões com a suspensão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/07/2017 18:09 / atualizado em 26/07/2017 18:12

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press

 
Os consumidores vão continuar sentindo no bolso o preço da gasolina. O presidente do Tribunal Regional Federal da 1º região, desembargador federal Hilton Queiroz, aceitou o recurso da Advocacia Geral da União (AGU)  contra a decisão liminar do juiz substituto Renato Borelli, da 20º Vara Federal de Brasília, que anulava, imediatamente, os efeitos do decreto de aumento da alíquota do PIS e da Cofins, que incidem na venda de combustíveis, lançado pelo governo na semana passada.
 
 
De acordo com o recurso apresentado pela AGU, por dia, o governo perderia R$ 78 milhões com a suspensão. A meta do governo é arrecadar R$ 10,4 bilhões com a elevação dos tributos até o fim do ano para cumprir a meta fiscal, de déficit de até R$ 139 bilhões neste ano.

Pelo decreto do governo, com a alta dos Pis/ Cofins para R$ 0,41, a tributação sobre a gasolina passou para R$ 0,89 por litro. O aumento dos impostos já foi repassado integralmente aos consumidores, que estão pagando quase R$ 4 pelo litro da gasolina nos postos em Brasília.

Aguarde mais informações.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
José
José - 26 de Julho às 20:18
Não adianta reclamarmos. Se não for o contribuinte e consumidor quem vai pagar a conta? Lamentavelmente elegemos as pessoas para dar rombo no tesouro e jogar a carga em nós.