Índice de confiança da indústria sobe 1,3 ponto em julho, aponta FGV

Houve aumento da proporção de empresas prevendo crescimento do quadro de pessoal, de 9,3% para 16,0% do total, e diminuição da parcela que prevê redução, de 20,9% para 18,4% do total.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/07/2017 09:37

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) subiu 1,3 ponto em julho ante junho, alcançando 90,8 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira (27/7). Mesmo com esse resultado, a instituição destaca que o índice não recuperou nem a metade da forte perda de 2,8 pontos do mês anterior. 

"A alta da confiança industrial no mês atenua a queda de junho mas é insuficiente para sinalizar uma retomada da tendência ascendente observada entre janeiro e maio deste ano", argumenta a coordenadora da Sondagem da Indústria, Tabi Thuler Santos. 

Segundo ela, grande parte do avanço observado de julho decorre da devolução da expressiva piora das projeções para evolução do pessoal ocupado no mês passado, que caíram 7 pontos. O subíndice que mede a perspectiva de pessoal ocupado nos três meses seguintes subiu 6,8 pontos em julho, para 92,4 pontos. Com essa contribuição, o Índice de Expectativas (IE) aumentou 1,3 ponto, para 93,4 pontos, sem contudo recuperar a perda de 3,6 pontos observada em junho.

Houve aumento da proporção de empresas prevendo crescimento do quadro de pessoal, de 9,3% para 16,0% do total, e diminuição da parcela que prevê redução, de 20,9% para 18,4% do total. O Índice da Situação Atual (ISA) subiu 1,4 ponto, para 88,4 pontos. O ISA tampouco recuperou a queda observada em junho, de 2 pontos. 

A principal influência para o aumento do ISA no mês foram as melhores avaliações sobre a situação atual dos negócios, que mostraram aumento de 3,7 pontos, para 87,5 pontos. A parcela que considera a situação corrente fraca em julho (33,7%, de 36,2% em junho) é a menor desde fevereiro de 2015 (30,8%), embora ainda represente mais de um terço das empresas. A fatia de empresários que considera a situação boa subiu de 9,4% para 12,3%. 

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) avançou 0,5 ponto porcentual em julho, para 74,7%. "O grau de ociosidade retornou ao nível de maio e o setor não sinaliza aquecimento da produção nos próximos meses", completa Tabi. A edição de julho de 2017 do ICI coletou informações de 1.144 empresas entre os dias 3 e 24 deste mês. A próxima divulgação desse indicador será no dia 29 de agosto de 2017, sendo que a prévia do resultado será publicada no site do Ibre no dia 22 de julho.



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.