Preços de commodities têm queda de 0,58% em julho

Em 12 meses encerrados em julho, o índice registrou alta de 0,54% e no acumulado do ano, retração de 4,51%

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/08/2017 19:24

Os preços das commodities, produtos primários com cotação internacional, registraram queda em julho. O Índice de Commodities Brasil (IC-Br), calculado mensalmente pelo Banco Central (BC), apresentou retração de 0,58% no mês passado, na comparação com junho. Em 12 meses encerrados em julho, o índice registrou alta de 0,54% e no acumulado do ano, retração de 4,51%.



O IC-Br é calculado com base na variação em reais dos preços de produtos primários (commodities) brasileiros negociados no exterior. O BC observa os produtos que são relevantes para a dinâmica dos preços ao consumidor no Brasil.

No mês passado, o segmento de energia (petróleo, gás natural e carvão) registrou aumento de 0,67%, enquanto o de metais (alumínio, minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel) subiu 1,86%.

O segmento agropecuário (carne de boi, algodão, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café, arroz e carne de porco) registrou queda de 1,40%.

O índice internacional de preços de commodities CRB, calculado pelo Commodity Research Bureau, registrou queda de 1,85% em julho e alta de 5,58%, em 12 meses.

 

Leia mais notícias em Economia

Fluxo cambial


Hoje (2/8), o Banco Central também divulgou os dados da entrada e saída de dólares do país no mês de julho, até a última sexta-feira (28/7) . O resultado acumulado ficou negativo, ou seja, a saída superou a entrada em US$ 2,630 bilhões. Ainda falta um dia útil (31/7) para fechar o resultado completo do mês. Esse dado só será divulgado próxima quarta-feira (9).

No mês passado, até o dia 28, o fluxo negativo veio do segmento financeiro, com saldo em US$ 5,402 bilhões, enquanto o resultado comercial ficou positivo em US$ 2,771 bilhões.
Tags: commodities
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.