Presidente do Congresso não tem previsão sobre envio do PLOA de 2018

A demora do governo federal em dar o aval para o socorro ao Estado do Rio tem incomodado o presidente em exercício, cuja base eleitoral vem da região

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/08/2017 16:28

Ed Alves/CB/D.A Press
O presidente do Congresso e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), aguarda há cerca de quatro horas o encaminhamento oficial do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2018, que depende da assinatura do presidente da República em exercício, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O prazo para o envio da proposta termina nesta quinta-feira (31/8). 
 
 
Embora tenha conduzido a sessão do Congresso até de madrugada, Eunício chegou ao Senado por volta das 11 horas. Pela manhã, a expectativa do presidente do Congresso era que a entrega formal da matéria ocorresse ao meio dia, porém o ato atrasou porque Maia não assinou o documento. Agora, a assessoria de imprensa da presidente do Congresso informa que não há previsão para que o encaminhamento ocorra.

Em meio à saia justa provocada por sua ida ao Rio de Janeiro no mesmo dia em que precisa assinar o PLOA de 2018, Maia usou sua conta no Twitter para reforçar o anúncio de que o acordo de recuperação fiscal do governo fluminense será assinado "no máximo" no início da próxima semana.

Maia disse ainda que, em conversa na quarta à noite, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, "prometeu" que publicará a autorização para a homologação do acordo assim que a Advocacia-Geral da União (AGU) concluir seu parecer sobre o plano de recuperação do Estado. 

Com as mensagens, Maia busca envolver Meirelles e Grace no compromisso pela celeridade do acordo do Rio, que se encontra em situação dramática. A demora do governo federal em dar o aval para o socorro ao Estado do Rio tem incomodado o presidente em exercício, cuja base eleitoral vem da região. 

Parte da área econômica acredita que essa insatisfação pode ter sido a motivação para uma "retaliação" por parte de Maia, que não assinou o PLOA e as Medidas Provisórias (MPs) que garantem uma redução de despesas e aumento de receitas para o governo em 2018.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.