JBS: José Batista Sobrinho eleito presidente do Conselho de Administração

Sobrinho é o fundador da companhia e vai completar o mandato em curso. Medida vem depois da prisão de Wesley Batista

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/09/2017 19:43

Antonio Cunha/Esp.CB/D.A Press

 
O Conselho de Administração da JBS elegeu por unanimidade ontem, José Batista Sobrinho, fundador da companhia, como presidente para completar o mandato em curso, informou a JBS por meio de nota.
 
 
O Conselho também definiu a criação de um Time Global de Liderança, responsável por assessorar a presidência em tomada de decisões. O time é composto por Gilberto Tomazoni, André Nogueira e Wesley Batista Filho, que comandam algumas das principais áreas de negócios da JBS e que seguem com suas atribuições e responsabilidades atuais.

José Batista Sobrinho foi o primeiro presidente da JBS, empresa que criou em 1953. É membro do Conselho de Administração da companhia há mais de dez anos, diz a nota distribuída.

Gilberto Tomazoni, presidente global de operações, está na empresa desde 2013 e tem mais de 30 anos em posições de liderança no setor de alimentos. Uma das principais lideranças da JBS, Tomazoni é responsável por todas as operações da empresa no mundo.

André Nogueira está na companhia desde 2007. Antes de ocupar a sua função atual como presidente da JBS USA, o executivo foi CFO da mesma operação e presidiu a JBS na Austrália.

Wesley Batista Filho era até esta data presidente da divisão de carne bovina da JBS USA, após ter ocupado cargos de liderança na JBS em cinco países desde 2010.

O Conselho de Administração concordou também que a diretoria cuidará de buscar um diretor para a área financeira da JBS S.A. Ainda, na mesma reunião, o Conselho de Administração da JBS deliberou pela nomeação, como seu membro efetivo, de Aguinaldo Gomes Ramos Filho, executivo com experiência nas operações da JBS no Brasil, Uruguai e Paraguai, em substituição a Wesley Batista.


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.