Justiça adia audiência de Henrique Alves e Fábio Cleto

Defesa do ex-ministro Henrique Eduardo Alves pediu acesso a delação do doleiro Lúcio Funaro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/09/2017 21:40

A Justiça Federal de Brasília adiou todos os depoimentos marcadas para esta quarta-feira (20/9) relacionadas ao processo que apura fraudes no Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS). Foram adiados os depoimentos do ex-ministro Henrique Eduardo Alves e Fábio Cleto. 

O juiz Vallisney de Souza, da 10* Vara Federal aceitou um pedido do advogado Marcelo Leal, que defende Henrique Alves. "Não é possível que meu cliente seja julgado e que no fim do processo sejam apresentadas provas baseadas em uma delação que nós não tivemos acesso. No Brasil se deve respeitar o devido processo legal. E a Constituição Federal garante que a defesa tenha acesso as provas, assim como o réu". 

Leia mais notícias em Economia

O defensor de Henrique Alves destacou que trechos da delação de Funaro já foram publicados pela imprensa, é que ele cita seu cliente. "Alguns trechos já foram publicados. Os anexos citam o processo do FI-FGTS. Mas nem os réus e nem os advogados tem acesso. Não se pode suprimir a defesa. Isso não pode estar acontecendo no Brasil", completou Marcelo.

O adiamento da audiência também deve alterar a data dos depoimentos do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e de Funaro, que estavam agendadas para a próxima sexta-feira (22). A defesa de Cunha pediu para ele permanecer em Brasília de forma permanente, ou até o fim do julgamento. Ele estava preso em Curitiba, por ordem do juiz Sérgio Moro.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.