STJ retoma julgamento de perdas nas poupanças com planos econômicos

Poupadores das maiores instituições financeiras do país pedem o ressarcimento dos valores congelados nas aplicações nos anos 1980 e 1990

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/09/2017 11:41 / atualizado em 27/09/2017 12:39

Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press
Está marcado para as 14h de hoje (27/9) o julgamento das ações de correntistas que pedem ressarcimento de perdas ocorridas nas poupanças com os planos econômicos Bresser (1987), Verão (1989) e Collor 1 e 2 (1990) e Collor 2 (1991). Os autos tramitam na Justiça há cerca de 30 anos. Após pedido de vista do ministro Ricardo Villas Bôas Cueva, o julgamento de dois recursos havia sido interrompido no dia 13 deste mês.

Até o momento, os poupadores estão em vantagem no Tribunal. O único voto proferido, do ministro e relator do caso, Raul Araújo, é a favor do ressarcimento. Mais sete ministros devem se manifestar até o fim do julgamento, além do presidente do STJ, em caso de empate.


Em seu pronunciamento, o ministro Raul Araújo, se posicionou a favor de que todos os poupadores que se consideraram lesados e pediram ressarcimento das perdas em ações coletivas possam ser incluídos pela decisão final e eventuais acordos. Os bancos pedem que apenas os correntistas filiados às associações sejam beneficiados. 

De acordo com as associações que defendem os poupadores, a tentativa é de reduzir o conjunto de eventuais beneficiários da ação. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.