Aeroporto de Recife ganha novas rotas internacionais operadas pela Azul

Secretário de Turismo de Pernambuco, Felipe Carreiras diz que incentivo fiscal foi fundamental para ampliar as operações, com redução da alíquota do ICMS para 7%

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/10/2017 15:45

	Rafael Ohana/CB/D.A Press

 

Enquanto o pleito da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) é unificar as alíquotas de Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o combustível de aviação em todos os estados brasileiros, em Pernambuco, a diferença na cobrança do tributo garantiu a ampliação nas operações do Aeroporto Internacional Gilberto Freyre, em Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana de Recife. Em voos internacionais, o aumento foi de 32% este ano em relação a 2016, partindo na capital pernambucana.



Nesta quinta-feira (5/10), a Azul anunciou a ampliação do hub a partir de Recife com novos destinos regionais e internacionais. Em 2018, Rosário e Córdoba, na Argentina, e Fort Lauderdale, nos Estados Unidos, receberão voos diretos da Azul, uma vez por semana, partindo da capital de Pernambuco. A companhia já opera o destino Orlando (EUA). Serra Talhada e Caruaru, no interior pernambucano, também estão nos planos da Azul, que chegará à marca de 25 destinos servidos e mais de 100 movimentos diários no aeroporto na alta temporada.

O presidente do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur), Felipe Carreiras, que é secretário de Turismo de Pernambuco, antecipou, na quarta-feira, durante o evento Desafios da Aviação, promovido pela Abear, em Brasília, que a malha internacional de Recife seria ampliada. “Os incentivos fiscais foram fundamentais para a Azul se consolidar no aeroporto. O ICMS sobre querosene de aviação era tributado em 25% e baixamos para 7%”, afirmou, na ocasião.

A redução, garantiu Carreiras, não impactou os cofres públicos. “Conseguimos compensar a queda da alíquota com aumento no consumo de combustível. O Estado recebe a mesma coisa que antes, com alíquota menor, e a população ganhou mais voos e rotas”, disse.

Hoje, a Azul lidera as operações em Recife. O número de voos internacionais partindo de Recife aumentou 32% de 2016 para 2017, disse o secretário. Na comparação entre 2015 e 2016, enquanto o país sofreu com uma queda no fluxo de passageiros de 5,2% no setor aéreo, em Recife houve alta de 1,7%. “Em 2017, enquanto a média nacional aponta crescimento de 2,7%, em Recife a alta foi de 9,7% na comparação com 2016”, afirmou.

 

Leia mais notícias em Economia

 

John Rodgerson, presidente da Azul, destacou o crescimento da companhia em Recife, que oferece metade das partidas e mais de 40% da oferta de assentos do aeroporto pernambucano. “Nossa malha no Recife vem crescendo a cada dia, permitindo que a companhia ofereça conexões rápidas e convenientes para vários destinos no país e no mundo. As novidades que anunciamos hoje aumentarão o intercâmbio de pessoas entre o Brasil, Argentina e EUA, fomentando negócios e turismo”, comentou Rodgerson.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.