Abear reitera tendência de queda das tarifas aéreas com regra de bagagens

Levantamentos feitos pelo IBGE e pela FGV verificaram tendência contrária da apurada pela Abear

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/10/2017 11:38

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press
 
A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) reiterou a tendência de queda entre 7% e 30% dos preços das passagens nas rotas domésticas com a adoção da cobrança pelo despacho das bagagens, como apontaram os dados preliminares para Azul, Gol e Latam divulgados pela associação em setembro.

De acordo com reportagem publicada pelo jornal O Estado de São Paulo na última quinta-feira (12/10), levantamentos feitos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pela Fundação Getulio Vargas (FGV) verificaram tendência contrária da apurada pela Abear. Entre junho e setembro, os dados da FGV mostraram alta de 35,9% das tarifas aéreas; pela metodologia do IBGE, a elevação foi mais moderada, de 16,9%.

A Abear afirma que seus cálculos consideram uma média da amostra de tarifas efetivamente comercializadas, a partir de dados disponibilizados pelas empresas aéreas para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A amostra leva em conta rotas e prazos fornecidos por cada companhia e diferentes períodos de antecedência de compra.

"Esse cálculo comprova que uma das maiores preocupações das associadas Abear é a de sempre oferecer tarifas mais justas para o consumidor, com o objetivo de tornar a aviação comercial brasileira cada vez mais acessível", diz, em nota.

A associação aponta diferenças nos critérios utilizados na metodologia adotada pelas outras instituições. Segundo a Abear, essas amostras coletam dados dos sites das companhias aéreas em diferentes períodos e em alguns trechos, considerando bilhetes ofertados, mas não necessariamente vendidos.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.