BC e Abecs lançam campanha para o melhor uso do cartão de crédito

A campanha vai ser lançada via internet

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Uma pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) com o Datafolha revelou que 21% das pessoas entrevistadas não pagaram a fatura do cartão de crédito no último mês, sendo que 15% das cobranças representam mais de 50% do total do orçamento familiar do devedor. As classes D e E são 33% do total de consumidores que não quitaram o pagamento. Por isso, o Banco Central (BC) vai lançar, junto com a entidade industrial, uma campanha para o uso consciente da ferramenta. 

A ação faz parte de um conjunto de medidas que visam reduzir o custo de financiamento e melhorar o nível de educação financeira da população. "54% das pessoas, e esse é um dado do BC, disseram que não sabem as taxas de juros e encargos contratuais. Então, o que nós percebemos, além do juros elevado e inadimplência, a origem do não pagamento da fatura também está na falta de informação, que é uma questão comportamental", disse o diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do BC, Isaac Ferreira. 


Isaac também destacou que, desde março, a autarquia financeira está adotando melhorias no setor financeiro, como a compatibilidade de máquinas de cobrança com todas as bandeiras de cartões de crédito, as novas regras do rotativo e a permissão de diferenciação de preços de bens e serviços conforme prazo e instrumento de pagamento utilizado. 

A campanha vai ser lançada via internet, na próxima segunda-feira (23/10) e será destinada às classes C, D e E. Serão nove vídeos veiculados no YouTube, além de post no Twitter e Facebook e banners em páginas do e-commerce. "Podemos perceber a importância deste meio de pagamento para a economia e população. Entretanto, para o uso correto, temos alguns desafios para superar. Cada vez mais brasileiros tem acesso a produtos e serviços financeiros. Nós precisamos garantir que eles tenham acesso de maneira adequada com informação de qualidade. Não basta a bancarização. Não basta que a pessoa seja incluída no setor financeiro", afirmou.  
 
Os usuários que clicarem nas publicações nos sites de compras vão ser direcionados para um hot site, que é adequado para a visualização no celular, que é o principal meio de acesso de internet das classes C, D e E.  O investimento da campanha é de R$ 350 mil. Segundo que o BC vai arcar com R$ 150 mil e a Abec com o restante. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.