Meirelles diz que cadastro positivo vai diminuir taxas de juros no mercado

Segundo ele, hoje só há registro de débitos e dívidas, "sem levar em conta o que as pessoas pagam em dia"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
O Ministério da Fazenda divulgou uma apresentação do Cadastro Positivo. O chefe da pasta, Henrique Meirelles, usou a conta no Twitter para afirmar que a criação da ferramenta vai gerar crédito mais barato, acessível e de melhor qualidade para os brasileiros. “Vai permitir que toda pessoa ou empresa que pagou suas contas em dia possa ter acesso a crédito mais barato”, escreveu.


Segundo ele, hoje só há registro de débitos e dívidas, “sem levar em conta o que as pessoas pagam em dia”. “O cidadão terá uma nota de crédito dada de acordo com seu histórico de pagamentos e somente essa nota será acessada por bancos e financeiras. Na medida em que o novo cadastro for implementado, as taxas de juros cobradas das empresas e consumidores irão cair”, afirmou o chefe da Fazenda. Ele destacou também que nenhuma instituição terá livre acesso aos dados do consumidores.

Cadastro


O cadastro positivo é um serviço prestado por empresas que avaliam o risco de crédito de consumidores e pessoas jurídicas, baseado nos históricos financeiros e comerciais. Cada pessoa ou companhia terá uma nota (escore) para definir os limites de crédito ou venda.

Segundo a apresentação do Ministério da Fazenda, o cadastro reduz o spread bancário, já que as instituições financeiras terão melhor acesso ao risco de cada tomador de crédito. Isso fará com que “reduza a inadimplência e a necessidade de cobrar juros altos de bons e maus pagadores.”

Outro ponto que a Fazenda defende é a “inclusão financeira.” De acordo com a pasta, as pessoas sem relacionamento bancário terão uma nota de crédito, “o que promove a inclusão dessas pessoas ao mercado de crédito.”
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.