Ministro diz que houve inédita redução de servidores públicos em outubro

O discurso do ministro enalteceu uma série de medidas que, na avaliação dele, melhorou o quadro econômico do país

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
José Cruz/Agência Brasil

 
O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira declarou que a gestão do presidente Michel Temer e da equipe econômica que participa foi a única a "dar a porta de saída para o servidor público". "Esse mês [outubro], foi o primeiro que nós tivemos redução de servidores públicos federais", alegou. A declaração foi dada durante o III Fórum Nacional do Comércio, que ocorre nesta quarta (24/10) e quinta (25/10), no Hotel Royal Tulip, em Brasília.
 
 
O discurso do ministro enalteceu uma série de medidas que, na avaliação dele, melhorou o quadro econômico do país. O chefe do Planejamento não revelou, porém, o número de redução dos funcionários públicos. "Cortamos quase 4 mil cargos e cada órgão estão funcionando de maneira muito apertada do que consegue, em relação às despesas de custeio", disse. 

"A recessão acabou e nós estamos na era do crescimento. Não é um crescimento concentrado em um setor. É um crescimento que vai entrando em todos os setores", afirmou Oliveira. Ele destacou também que o consumo das famílias foi o principal fator que ajudou na retomada, "sucesso da políticas econômicas que foram implementadas" pelo governo.

III Fórum Nacional do Comércio

O III Fórum Nacional do Comércio reuniu empresários, políticos e líderes do setor varejista, que espera crescer aproximadamente 2,5% no volume de vendas até o final de 2017. Segundo participantes, o intuito do evento é de discutir os principais gargalos do setor de comércio e serviço e o papel do varejo na retomada do crescimento econômico. 

De acordo com o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), que organiza o evento, Honório Pinheiro, a expectativa é positiva para o varejo. "Estamos acreditando em uma retomada, já que tivemos uma queda nos juros e a inflação está controlada", contou. Segundo ele, o fórum trouxe aspectos técnicos e políticos importantes para os varejistas. "Nosso objetivo é fazer com que haja por parte do governo um reconhecimento da importância do setor na esfera econômica", completou.

O evento também vai reunir os relatores da reforma tributária, o deputado Carlos Hauly (PSDB/PR), da reforma trabalhista, Rogério Marinho (PSDB/RN) e reforma da Previdência Social, Arthur Maia (PPS/BA).

O presidente da Câmara de Dirigentes e Lojistas do Distrito Federal (CDL), José Carlos Magalhães, declarou que o país está saindo do processo recessivo. "Antes tínhamos um pensamento de que estávamos entrando na crise, agora a ideia é de que estamos saindo dela", disse. "Mais cedo ou mais tarde, as reformas que precisam ser feitas vão vir. Elas estão trazendo esperança de melhorias para os varejistas", completou. 

Em seu discurso, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, disse ver com otimismo os primeiros sinais de recuperação econômica. Segundo ele, é o quinto mês consecutivo que a retomada econômica e a retomada do emprego mostra reação. "É no varejo que estão a maioria dos empregos, dos negócios. O varejo é uma força motriz do nosso desenvolvimento econômico", declarou.

Dyogo disse que as dificuldades para se empreender são muito grandes. "Barreiras de questões efetivas de mercado, até a burocracia e legislação tributária complexa. Assumem uma tarefa um risco grande e enfrentamento das dificuldades", afirmou. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.