Contas do governo registram primeiro superavit primário desde abril

Saldo em outubro ficou positivo em R$ 5,2 bilhões, mas no acumulado do ano, rombo soma R$ 103,2 bilhões

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/11/2017 15:22

Reprodução/ Internet

 

As contas do governo central, que inclui Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, encerraram outubro com superavit primário de R$ 5,2bilhões. É o primeiro saldo positivo desde abril, quando chegou a R$ 12,373 bilhões, conforme dados divulgados nesta terça-feira (28/11) pelo Tesouro.



A receita líquida teve queda real (descontada a inflação) de 23,9% no mês passado em comparação com o mesmo período de 2016, para R$ 103,2 bilhões. Enquanto isso, as despesas totais cresceram 4,7% na mesma base de comparação, para R$ 98 bilhões.

No acumulado do ano, o resultado primário do governo central ficou negativo em R$ 103,2 bilhões, quase valor 71% superior ao deficit de R$ 60,3 bilhões registrado entre janeiro e outubro de 2016, em termos nominais. Apenas o rombo da Previdência somou R$ 155,2 bilhões. Já o Tesouro registrou superavit de R$ 51,9 bilhões entre janeiro e outubro deste ano.

 

Leia as últimas notícias de Economia

 

No acumulado em 12 meses, o rombo das contas do governo federal ficou em R$ 207,3 bilhões, valor bastante acima da meta fiscal prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias  (LDO), que foi ampliada para um deficit de R$ 159 bilhões. E, mesmo e, mesmo desconsiderando a antecipação de precatórios, o resultado ainda estoura a meta, pois fica negativo em R$ 188,8 bilhões.

De acordo com o Tesouro, essa piora no resultado acumulado até outubro "deverá ser revertida" nos meses de novembro e de dezembro, devido a receitas extraordinárias com concessões.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.