Celulares chineses com preços mais baixos atraem consumidor

Além de preços menores, os smartphones chineses têm características parecidas com as de marcas consagradas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/12/2017 06:00 / atualizado em 04/12/2017 00:15

AFP/Fred Dufour
 São Paulo – Os chineses passaram boa parte dos últimos 30 anos copiando o que os outros países faziam de melhor. Foi assim na indústria de computadores, na produção de carros e, mais recentemente, no desenvolvimento de celulares. A ânsia de repetir o sucesso dos inspiradores originais levou a uma série de produtos capengas. Só agora, depois de muitos equívocos, os computadores e carros chineses começaram a apresentar padrões de qualidade. A nova onda está com os smartphones. Eles chegaram com força aos principais mercados no mundo – e também no Brasil.

Mais da metade dos smartphones em circulação no mundo são de marcas chinesas. No Brasil, o índice é inferior a 20%, mas os números são crescentes. Uma das razões para a maior procura dos produtos do país da Muralha é o preço dos aparelhos de marcas consagradas. Na sexta-feira 1o, começou no mercado brasileiro a pré-venda do iPhone X, a novidade de fim de ano da Apple. Em lojas como Fast Shop, Submarino, Extra, Americanas e Casas Bahia, os valores médios são de R$ 7 mil pela versão com 64 GB e R$ 7,8 mil pela de 256 GB, cifras que criam um patamar inédito de preços.

Basta dar uma espiada em sites como Ali Express e Gearbest para entender o fenômeno da invasão dos celulares chineses. O aparelho V7+, da marca Vivo (não confundir com a operadora de telefonia), tem configurações parecidas com o modelo mais simples do Iphone X, como tela full HD de  6 polegadas e 64 GB de memória para armazenamento. No site Gearbest, o preço sugerido é em torno de R$ 1,3 mil. O comprador paga ainda o imposto estipulado pela Receita Federal, fixado em 60% sobre o valor do produto e a ser pago em dinheiro na agência dos Correios onde for feita a entrega pela loja virtual. No final, o celular chinês custa algo como R$ 2 mil.

“Essas comparações nem sempre são justas”, diz Eduardo Tancinsky, consultor especializado em marcas e tecnologia. “Ainda não é possível comparar a qualidade de um celular chinês com um equivalente das fabricantes mais tradicionais.” Também entra nessa conta, diz ele, o fetiche que grifes como Apple ainda despertam, embora a aura mitológica da empresa tenha diminuído depois da morte de Steve Jobs. “Nós nascemos para conquistar o mundo”, disse em um evento recente Lei Jun, fundador e presidente da Xiaomi. Jun é um imitador de Jobs. Ao lançar um produto, promove as mesmas apresentações barulhentas do criador da Apple e gosta de fazer o estilo descolado.

Se o mercado brasileiro é crescente, por que os fabricantes da China não se estabelecem de vez por aqui? Fazer isso resultaria em mudar a estratégia de negócios dos chineses, que consiste em conceber o projeto e produzi-lo no próprio país. Além disso, muitos fabricantes já tiveram dificuldades no mercado brasileiro, o que fez com que gigantes como a Xiaomi segurassem seus investimentos previstos para o Brasil.

O especialista Tancinsky lembra que há uma ironia na resistência das pessoas em comprar um smartphone chinês. Hoje em dia, diz ele, praticamente todos os celulares à venda no Brasil são fabricados na China ou têm seus principais componentes produzidos por lá. Apple, Samsung, Motorola e LG, para citar os líderes de mercado, precisam das fábricas chinesas para atender à demanda global.

A China vive uma era de ouro na tecnologia, fenômeno que já está sendo chamado de “chinese dream” (sonho chinês). Nenhum país do mundo investe tanto em pesquisa e desenvolvimento. São US$ 200 bilhões por ano, dez vezes mais do que há uma década. Também nenhuma nação avança tanto nos rankings globais de inovação.  Recentemente, o Partido Comunista chinês lançou um desafio: fazer do país líder global em inteligência artificial até 2030. É bom não duvidar.

Os mais procurados

Modelo: Mi 6
Fabricante: Xiaomi
Características: Tela Full HD de 5,1 polegadas, câmera de 12 megapixels e 64 GB de memória
Preço médio: R$ 1, 6 mil

Modelo: OnePlus 5
Fabricante: OnePlus
Características: Tela Full HD de 5,5 polegadas, câmera de 16 megapixels e 128 GB de memória
Preço médio: R$ 2 mil
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.