Rombo previdenciário dos estados alcança quase R$ 82 bilhões em 2016

Relatório divulgado pelo governo federal mostra ainda que há uma diferença de R$ 26,09 bilhões entre o cálculo do déficit feito pelos estados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/12/2017 16:42 / atualizado em 06/12/2017 16:46

Assim como o governo federal, os estados também estão com déficits astronômicos na Previdência Social. De 2015 para 2016, o rombo aumentou 6,83%, saindo de R$ 76,6 bilhões para R$ 81,9 bilhões, segundo o Tesouro Nacional. O resultado foi divulgado na manhã desta quarta (6/12) e é baseado em locais que têm mais de 100 mil habitantes.
 
Relatório divulgado pelo órgão mostrou ainda que há uma diferença de R$ 26,09 bilhões entre o cálculo do déficit feito pelos estados e o valor apurado no documento. A maior discrepância de informações ocorre no estado de São Paulo, com R$ 17 bilhões de diferença. 
“Isso é fruto da forma como esse estado apresenta o repasse de recursos para cobertura do déficit previdenciários, tradando-o como um tipo de contribuição patronal suplementar para o Regime Próprio de Previdência Social, o que acaba melhorando seu resultado”, apontou o relatório.
 
 
Houve também uma atualização dos dados do ano passado com base em informações disponibilizadas pela Previdência ao Tesouro. O rombo efetivo nos benefícios dos estados foi de quase R$ 7 bilhões a menos que o calculado em agosto deste ano, referente ao resultado de 2016.
 
Além disso, nove estados estão acima do limite de gastos com pessoal estipulado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que estipula teto de 60% da receita corrente líquida. O que mais ultrapassa é Minas Gerais, com despesas de 77%, seguido de Rio de Janeiro (74%), Rio Grande do Sul (69%), Mato Grosso do Sul (65%), Paraíba (61%), Goiás (60,9%), Mato Grosso (60,66%), Paraná (60,65%) e Rio Grande do Norte (60,01%).  
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.