Entidades auxiliarão trabalho de mapeamento de votos pela Previdência

O objetivo é de que, com a força-tarefa, os parlamentares tenham maior certeza sobre o número de parlamentares que devem votar pela aprovação da reforma

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/12/2017 16:47 / atualizado em 06/12/2017 17:34

O governo federal ganhou cinco importantes aliados para o trabalho de mapeamento de votos e convencimento de deputados indecisos em relação à reforma da Previdência. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), a Confederação Nacional de Municípios (CNM) e o Movimento Brasil Livre (MBL) estão promovendo trabalho corpo a corpo com parlamentares para assegurar o número mínimo de 308 votos para a aprovação da proposta.
 
A CNC, CNI, CNM e MBL estão atuando em conjunto com governistas para auxiliar no mapeamento de votantes. Um trabalho que tende a ganhar força a partir desta quarta-feira (6/12). “A partir de hoje, eles vão fazer o corpo a corpo direto. Por telefone, ou indo direto aos assessores ou os próprios parlamentares. De repente, um deputado pode dizer para um prefeito que vai votar pela reforma, e dizer para uma entidade que votará contra”, afirmou o vice-líder do PMDB na Câmara, Darcísio Perondi. 
 
 
O objetivo é de que, com a força-tarefa, os parlamentares consigam cruzar as informações e tenham maior certeza sobre o número de parlamentares que devem votar efetivamente, ou não, pela aprovação da reforma. “É uma emergência. Uma guerra da sociedade com as corporações públicas”, disse Perondi. 
 
A Cbic também se comprometeu a ajudar o governo, mas em um processo de convencimento. Nesta quarta-feira (06/12), o presidente da entidade, José Carlos Martins, se encontrou com o presidente da República, Michel Temer, para demonstrar apoio. “Entendemos que, para ter investimento, é preciso retomar a credibilidade. E, para isso, a aprovação da reforma da Previdência é inevitável”, avaliou. 
 
Dirigentes regionais das 85 entidades ligadas à Cbic vão procurar os deputados dos respectivos estados de origem para conscientizá-los sobre a importância da aprovação, explica Martins. “Nossos dirigentes que concordam com a reforma, e eu diria que são 100%, vão conversar com os parlamentares locais e explicar a proposta. É a única forma de garantir o pagamento das aposentadorias”, alertou. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.