Modalidade incluída na reforma trabalhista gerou mais de 3 mil empregos

Trabalho intermitente permite que o funcionário seja convocado pelo patrão em situações específicas e receba de acordo com as horas efetivamente trabalhadas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/12/2017 11:20 / atualizado em 27/12/2017 11:42

Caio Gomez/CB/D.A Press
 
A modalidade de trabalho intermitente, incluída na legislação pela reforma trabalhista, foi responsável pela criação de 3.120 empregos em novembro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quarta-feira (27/12) pelo Ministério do Trabalho. Esse tipo de contrato permite que o funcionário seja convocado pelo patrão em situações específicas e receba de acordo com as horas efetivamente trabalhadas. A reforma entrou em vigor em 11 de novembro

O setor de Comércio foi o que mais adotou o trabalho intermitente. Criou 2.841 postos, o que equivale a 92% do total. O setor de Serviços, em segundo lugar, gerou 207 vagas intermitentes (6%).

Do total de 3.120 empregos gerados nessa modalidade, 1.340, ou 43%, foram na região Sudeste. E 1.257, o equivalente a 41%, no Nordeste. 

Além dos dados de intermitentes, o Caged registrou 744 admissões por contrato de trabalho parcial, também presente na reforma trabalhista. Nesse tipo de contrato, há uma jornada definida, ao contrário do intermitente. O empregado pode trabalhar até 30 horas semanais, sem possibilidade de horas adicionais, ou até 26 horas, podendo ter o acréscimo de outras seis.

Demissão por acordo 

A possibilidade de demissão por acordo entre patrão e empregado, também incluída pela reforma trabalhista, gerou 805 desligamentos no mês passado. O levantamento foi incluído no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quarta-feira (27/12) pelo Ministério do Trabalho.  

A maioria desses acordos foram feitos nos setores de Serviços e Comércio, por profissionais como vendedores de varejo (37 demissões acordadas), faxineiros (31), assistentes administrativos (27) e auxiliares de escritório (26). No total, o setor de Serviços foi responsável por 47% dos desligamentos por acordo (377), enquanto o Comércio responde por 25% (198 acordos).

Ocupações que mais registraram trabalho intermitente:
  • Assistente de vendas: 2.749
  • Montador de andaimes: 41
  • Servente de obras: 28
  • Vendedor de comércio varejista: 17
  • Atendente de lanchonete: 17
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.