oferecimento

Retificação é regra mesmo entre contadores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/04/2016 11:46 / atualizado em 19/04/2016 12:21

Não é só quem faz a declaração de Imposto de Renda sozinho que se arrisca a cair na malha fina da Receita Federal. Também as empresas contábeis, bastante procuradas nesse período para elaborar o documento, costumam colocar seus clientes nessa linha de risco. Pesquisa recente da multinacional Wolters Kluwer Prosoft, com 2.124 empresas de contabilidade, apontou que 81,1% delas têm o hábito de fazer algum tipo de retificação após o envio das declarações ao Fisco. E só a minoria (18,9%) não registra incidências de malha fina nos formulários de seus clientes. Falando pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), Vânia Labres concorda, em parte, com o resultado do levantamento. "Realmente, existe um número significativo de retificações de declarações, mas a responsabilidade não é do contador. Muitos clientes deixam de cobrir as informações exigidas", disse ela. Ela diverge da pesquisa, argumentando tratar-se de uma base muito pequena (cerca de 0,4%) em relação ao universo de 527 mil associados do CFC. "Nós só podemos lançar o que o cliente traz", insiste. O gerente da Prosoft, multinacional holandesa de TI, Danilo Lollio, diz que a maioria (52,6%) das empresas pesquisadas reforça o argumento.%u201CO contador fica dependente dos dados fornecidos pelo cliente%u201D, destaca Lollio, cuja empresa é especialista na venda de software para empresas contábeis. Uma parcela de contribuintes não guarda comprovantes de despesas médicas para deduzir o imposto, enquanto outros 10% costumam cair na malha fina por não declarar transações imobiliárias, segundo o levantamento. Alguns especialistas em Brasília confessam que, em função do grande volume de solicitações que recebem, em especial nestas duas últimas semanas que faltam para o fim do prazo de prestação de contas (o próximo dia 29), remetem muitas declarações ao Fisco com dados básicos. O preenchimento total é feito posteriormente, por meio de retificadoras. Assim como na maioria dos escritórios similares, o número de declarações de IR a fazer começa a se avolumar na sala de Rita Aguiar Soares, da Atos e Fatos Contabilidade. Rita conta que tem alguns clientes que costumam levar recibos e comprovantes somente no fim do prazo. Para evitar que caiam na malha fina, ela envia o formulário para a Receita com informações básicas, e depois complementa com declarações retificadoras. "Como profissional, gosto de receber os documentos o quanto antes, mesmo que não consiga encaminhar tudo direitinho", diz o professor do Instituto Brasileiro do Mercado de Capitais (Ibmec), Humberto Castro. "O pessoal da última hora, a gente entrega o que dá para fugir da multa", que é de 1% ao mês, no limite de 20% do IR devido. Segundo a Receita, o contribuinte pode enviar declaração retificadora sempre que achar que errou ou quiser acrescentar algum dado. Só não pode mudar o modelo escolhido para apuração do IR. A declaração retificadora pode ser enviada por até cinco anos após o primeiro encaminhamento.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.