oferecimento

Corra, pois o Leão está mais faminto que nunca

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/04/2016 12:32 / atualizado em 25/04/2016 12:35

A apenas cinco dias do prazo final para a entrega da declaração do Imposto de Renda 2016, resta agora aos contribuintes correrem contra o tempo para fechar os dados exigidos pela Receita Federal. Pelos cálculos de Joaquim Adir, supervisor nacional do Imposto de Renda, cerca de 12,5 milhões de brasileiros ainda não prestaram contas ao Fisco. Isso significa dizer que, na média, o Leão receberá 2,5 milhões de documentos por dia. A perspectiva é de que o grosso dos retardatários entregue a declaração no penúltimo dia. O sistema da Receita será fechado às 23h59 de sexta-feira, 29. No total, 28,5 milhões devem acertar as contas com o Leão neste ano. Quem deixou para os últimos dias corre o risco de cometer erros básicos, de digitação, por exemplo, ou de troca de dados, e pode cair na malha fina. Os atrasados também perdem a chance de tirar dúvidas, uma vez que os especialistas estarão abarrotados de pedidos e recusam várias demandas. Há, também, a possibilidade de sobrecarga nos sistemas da Receita. A multa pelo envio das declarações fora do prazo pode chegar a 20% do imposto devido, sendo o mínimo de R$ 165,64. Técnico de enfermagem, Daniel Miranda, 27 anos, diz que está sem tempo para encaminhar a declaração à Receita. E, mesmo tendo a ajuda de um contador à disposição, ele se enrolou com o prazo. "Todos os anos, prometo que vou me antecipar, mas sempre fica para a última hora", diz. Para ele, o lado negativo desse atraso é receber a restituição nos últimos lotes, pois ele precisa do dinheiro rapidamente. "Ainda nem separei os documentos", acrescenta. Outro atrasado é o aposentando João Liberato de Sousa, 81. "Sou daqueles que deixam para a última hora do último dia", afirma. Ele conta com a ajuda de um amigo para preencher o formulário da Receita, mas ainda não se animou. "O meu amigo já me ligou várias vezes, cobrando os documentos para a declaração e alertando sobre os prazos. O problema sou eu", frisa. Um dos motivos para o seu desânimo é a certeza de que não terá restituição de imposto neste ano. Especialistas do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) destacam os transtornos para os últimos da fila, como não encontrar a documentação necessária. E aconselham: o contribuinte deve iniciar o preenchimento da declaração o mais rapidamente possível para não pagar multa e juros, que estão mais altos neste ano do que em 2015. Caso haja problemas nas informações, é possível fazer uma retificadora a qualquer tempo e ficar em dia com o Fisco. "Todo ano é a mesma coisa. Parece que o brasileiro gosta de deixar tudo para a última hora", diz Joaquim Adir.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.