oferecimento

Antecipar a restituição só vale a pena se for mesmo necessário

Bancos oferecem linhas de crédito para quem quer adiantar a restituição. As taxas variam de 2% a 4,59%

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/03/2017 08:00 / atualizado em 25/03/2017 20:28

Amaro Jr/CB/D.A Press e Pablo Alejandro/Esp. CB/D.A Press
A restituição do Imposto de Renda pode ser uma mão na roda para aliviar o bolso dos brasileiros que estão com dívidas. Por isso, muitos acabam buscando as linhas de crédito oferecidas por instituições financeiras para antecipar o dinheiro. Mas, como em todo empréstimo, é necessário ter cautela na hora de escolher onde pegar a antecipação. Neste ano, as taxas de juros cobradas variam de 2 % a 4,59% ao mês e os bancos oferecem a facilidade de contratar o serviço por aplicativos e pelo Internet Banking.


Além de considerar os juros, que variam de acordo com banco e relação do cliente com a instituição, é preciso ter certeza de que a declaração entregue está inteiramente correta, pois o contribuinte pode cair na malha fina e ter que arcar com o empréstimo do próprio bolso e pagar juros sobre o atraso, já que a restituição ficará retida.

Em 2016, o Fisco pagou  R$ 18.3 bilhões aos 15,8 milhões decontribuintes que tinham direito à devolução. De acordo com o educador financeiro  Mauro Calil, especialista em investimentos do Banco Ourinvest e fundador da Academia do Dinheiro, o contribuinte saberá se tem direito a receber a restituição no momento em que finalizar a declaração pelo site da Receita Federal.  

Dúvidas

O servidor público Francisco Silvestre Coelho, 49 anos, costuma antecipar o valor da restituição todos os anos. “Prefiro pegar logo o dinheiro, pagar dívidas ou comprar as coisas que preciso à vista, para conseguir negociar o preço”, diz. Neste ano, o plano é adiantar as prestações do financiamento do carro com desconto.

A antecipação do crédito é indicada em situações pontuais, como em casos de dívidas com altas taxas de juros ou para pagar contas domésticas que estão atrasadas, como luz, água e telefone. “As taxas de juros nessas linhas de crédito são menores que as cobradas no rotativo de cartão de crédito ou no cheque especial. Então, é trocar uma dívida cara por outra com taxas menores”, aconselha Calil.  

O Superintendente de Financiamentos e Empréstimos do BRB, Miguel Fernandes, explica que ao solicitar a antecipação, o cliente sai do banco com o dinheiro, já com os juros descontados. No momento em que a Receita fizer o depósito da restituição, o contrato é liquidado automaticamente. Ele sugere que o contribuinte negocie as taxas de juros com a instituição. “O gerente vai ver o histórico de relacionamento e, se conhece o cliente, fica mais fácil e rápido para conceder o crédito”, argumenta.

Os especialistas ressaltam a importância de pensar bem no destino do dinheiro extra. “Use para reforçar aplicações e investimentos, pode ser uma boa oportunidade de começar uma reserva financeira e estar preparado para eventualidades ou até mesmo guardar para a aposentadoria”, aconselha Calil. “Pode ser usado na compra de algo muito desejado, com um bom desconto, ou para a realização de um sonho, como uma viagem”, acrescenta Domingos.

Pela primeira vez, o produtor cultural Jeberson Macedo Mendes, 32 anos, receberá devolução de IR. Se tudo estiver certo com a declaração, ele espera embolsar cerca de R$ 900, mas aguardará o pagamento no lote para aproveitar a correção pela taxa básica de juros (Selic), hoje em 12,25%. “Pretendo usar esse dinheiro para complementar minha aposentadoria, tenho um plano de previdência privada. Ninguém sabe o dia de amanhã e é melhor poupar”, acredita.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.