SIGA O
Correio Braziliense

Pai viúvo e mãe divorciada comentam relação entre filhos de outros casamentos

Gilmar de Sousa Araújo conheceu Vânia de Lourdes Alves Freitas em 2014, por intermédio de site de relacionamentos; convivência entre os três filhos é "muito boa e tranquila", garante a mãe

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/04/2016 12:00 / atualizado em 21/04/2016 17:55

Correio Braziliense

 

Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press

 

O mundo dá voltas e surpreende. Nessas voltas, há encontros e desencontros, chegadas e despedidas. Para esta família recém-formada, foi em um desses adeus que uma nova vida renasceu. Tudo começou no município de Dores do Indaiá, em Minas Gerais. O comerciante Gilmar de Sousa Araújo, 51 anos, vivia com a esposa e as duas filhas: Lígia, 21, e Sofia Tonaco e Araújo, 10. Quando Sofia completou 1 ano de vida, a família se mudou para a capital federal em busca de uma vida melhor. As coisas fluíam bem até que, em 2009, a mãe descobriu um câncer de ovário. “Ela fez cirurgia, quimioterapia e a doença se estabilizou. Dois anos depois, o câncer retornou no intestino”, lembra a filha mais velha. Um ano após ser hospitalizada, a mãe morreu.

A família teve de lidar com a dor da perda. Vivendo em trio, deram tempo ao tempo. Houve o período de sofrer e de chorar, mas também o de se unir e deixar de lado a tristeza, abraçando, em seu lugar, apenas a saudade. Desde então, Gilmar parou de trabalhar e decidiu dedicar cada segundo da vida às filhas. “Daí em diante, ele começou a fazer de tudo. Ele marca nossas consultas médicas, faz compras de supermercado e nos ajuda em tudo o que precisamos”, diz.

Paralelamente, corria a trajetória de Vânia de Lourdes Alves Freitas, 47. Brasiliense, nascida no Hospital de Base, ela se casou em 1999 com o homem que viria a se tornar pai de Pedro Dantas Freitas, 13. Em 2012, porém, o casamento acabou e Vânia também começou a assumir o papel de pai e mãe. Nem pensava em se casar novamente.

Certa vez, Vânia e Gilmar se esbarraram em um site de relacionamentos. Com pontos em comum, começaram a conversar e a se entender. Mas a vida tinha outros planos para eles. Sem razão aparente, pararam de se falar e só retomaram contato um ano depois. “Começamos a sair em fevereiro de 2014 e, em dezembro do ano passado, nos casamos”, recorda-se Vânia.

E, então, começou a tomar forma uma nova e feliz família, agora com cinco integrantes. “Eu gostei da ideia desde o início. Hoje, temos uma convivência muito boa e tranquila”, destaca Lígia. Na hora de educar os filhos, cada um toma conta dos seus. “Mas, caso haja qualquer problema maior, a gente conversa e resolve juntos”, explica Vânia. A servidora pública ressalta que o amor pelas enteadas só cresce a cada dia. “Mãe é mãe, e ninguém ocupa esse espaço, mas tento criar as meninas com todo o carinho”, afirma.

Com a cidade, a relação da família é igualmente especial. “Aqui, nós temos qualidade de vida, uma paisagem muito bonita e novas oportunidades”, enaltece Vânia. Já Lígia, que é estudante de arquitetura, destaca que os traços de Niemeyer fazem com que a cidade chame a atenção. “O urbanismo e a arquitetura daqui são impecáveis. Mesmo tendo nascido no interior de Minas, eu me considero brasiliense.”

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade