SIGA O
Correio Braziliense

"Somos totalmente brasilienses", afirma Rodrigo Rollemberg sobre familiares

De origem sergipana, família do governador veio para a inauguração da cidade; hoje, dos 120 membros, 116 vivem no DF

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/04/2016 20:00 / atualizado em 21/04/2016 18:36

Marina Adorno - Especial para o Correio

Arquivo Pessoal
 

 

A história da família Rollemberg na capital começou cedo. A matriarca, Teresa Rollemberg, 85 anos, veio para Brasília acompanhada do marido, o deputado federal Armando Rollemberg, para a inauguração da cidade. Ela conta que a primeira impressão que tiveram ao chegar, em 18 de maio de 1960, foi de deslumbramento. Para ela, que sonhava desde criança ter uma família grande, Brasília pareceu ser o lar ideal. Logo se mudou, com o marido e os oito filhos, que logo se transformaram em 15. “Aqui, tudo deu certo para nós.”

A família, de origem sergipana, estabeleceu-se em Brasília. Dos 120 membros, 116 residem aqui na capital. Teresa Rollemberg declara ser extremamente grata por ter realizado seu sonho e por ter os familiares por perto. Nenhum filho mora com a matriarca atualmente, mas ela nunca está sozinha. Diariamente, recebe pelo menos 25 parentes para o almoço. “Participo de tudo. Faço questão de ter todos presentes e se sentindo bem. Dá trabalho, mas isso é o que eu sempre quis para a minha vida”, conclui.

O filho do meio, o atual governador da cidade, Rodrigo Rollemberg, 56, nasceu no Rio de Janeiro e chegou aos 9 meses à capital federal, cresceu aqui e nunca cogitou trocar a cidade por outra. Ele conta que sua infância foi um período do qual tem lembranças maravilhosas. “Como a nossa família é muito grande, a gente chegava da escola, almoçava, fazia os deveres de casa e era obrigada a descer e ficar o dia inteiro embaixo do bloco brincando”, diz Rodrigo. Entre as brincadeiras preferidas: queimada, pique-esconde e bolinha de gude.

Rodrigo não abre mão do convívio familiar e acrescenta que esse é um traço comum em todos os Rollembergs. “Somos uma família que se reúne muito. Acredito que as figuras da minha mãe e do meu pai são a justificativa para estarmos sempre em busca de preservar os laços e a convivência. Minha mãe tem essa capacidade de agregar”, reconhece.

O governador afirma que tem uma relação muito forte com determinadas regiões e eventos culturais do DF. Ele diz ser frequentador da Folia do Divino, em Planaltina; do Parque da Água Mineral; da via-sacra do Morro da Capelinha; da Feira de Ceilândia; e das cachoeiras da capital. “A cidade nos conquistou totalmente, somos totalmente brasilienses”, garante Rodrigo Rollemberg.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade