Beleza dos ipês de Brasília inspira pintores a criar obras de arte

Faça uma foto da árvore símbolo da capital e envie para o Correio

postado em 22/08/2015 09:16 / atualizado em 22/08/2015 09:30

Roberta Pinheiro

Fabio Pedrosa/Divulgação

 

“Para explicar por que retrato Brasília, sempre uso uma frase que o poeta Nicolas Behr costuma dizer: Quem canta sua aldeia torna-se universal.” Assim, o artista plástico Rodrigo Nardotto, 42 anos, justifica sua obra. Ele é um dos pintores que viram nos ipês uma inspiração artística. Seja pelas cores, formato e movimento, seja pela exuberância no meio do cerrado. Transformar a árvore em telas não é tarefa fácil. Mas o resultado agrada aos artistas e ao observador. Símbolo de Brasília, o ipê também se torna um elemento visual repleto de possibilidades. Desde julho, leitores do Correio e telespectadores da TV Globo Brasília têm registrado os melhores ângulos da árvore em fotos e vídeos.

Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press

 

As paredes do apartamento onde Rodrigo mora, em Águas Claras, são brancas. Elas dão espaço para a criatividade do pintor e para as cores dos ipês despontarem. “Sempre fui alucinado por ipê. Eu me perguntava quando conseguiria pintar. As cores são muito difíceis, encontrar o tom perfeito é complicado, mas é um exercício delicioso”, conta o artista. No olhar de Rodrigo, a árvore de flor amarela tem uma diversidade de tonalidades, por exemplo. Pintá-la é uma mistura de laranja, vermelho, azul e branco. “Cor é algo que você tem que treinar o olhar”, acrescenta.

Rodrigo Nardotto/Divulgação

 

De acordo com o pintor, o trabalho de retratar ipês começou depois que Rodrigo recebeu uma mensagem. “Ouvi uma voz que me disse para parar de copiar e começar a pintar. O primeiro quadro da árvore foi o resultado quase que de um movimento epiléptico”, relembra. Ao todo, o artista tem cerca de 20 telas com o símbolo da capital. Para ele, pintura é manifestação. “Sou mais emocional que técnico. Tenho um toque impressionista, mas sou expressionista”, define. Isso quer dizer que o artista trabalha com o corpo e com a alma. Antes de começar a pintar, Rodrigo recorre à fotografia. “Uma vez quase bati o carro quando vi um ipê-amarelo lindo na 110 Norte”, relembra, aos risos. A foto virou tela, que já encantou espectadores. “Uma mesma cliente comprou três quadros meus de ipê”, conta.

Paulo Americo/Divulgação

 

O artista plástico Fabio Pedrosa, 40, também foi a campo pesquisar referências para a série BSB e Cor. “Como queria algo que mostrasse a nossa cidade, a calçada em que a gente anda, saí tirando fotos. Outras referências foram a partir de imagens encontradas ou que me mandavam”, explica. O resultado mistura as cores, a luz e o movimento dos impressionistas europeus, com a contemporaneidade de uma cidade moderna. A série é composta por cinco telas — dois ipês, retratos do Parque da Cidade e da avenida W3, além de uma vista da Torre de TV. “Via poucas pinturas sobre Brasília, isso começou de um tempo para cá. A gente tem que ver a cidade retratada, porque, a partir do momento que a conhecemos, a gente dá valor.”

Na percepção de Fabio, o ipê se destaca no meio da vegetação. “Ele mostra de cara a beleza.” Foi assim que o símbolo da cidade conquistou o nordestino que há 20 anos vive em Brasília. “A cidade tem uma característica que dificulta (retratá-la), porque é uma reta e muito branca, não tem adorno. Cabe a nós descobrirmos formas de representá-la de maneira diferente”, comenta. Foi dessa forma que o artista desvendou a série, que já ficou em exposição na Câmara dos Deputados.

Ao ver o primeiro ipê pronto no quadro, o sentimento foi de satisfação. “Humildemente falando, vi que cheguei um pouco perto da beleza da árvore”, completa. A exuberância da floração no meio da seca e a maneira como ela se tornou característica de Brasília encantaram Fabio. “Dá uma alegria na cidade”, comenta.

Faça seu clique
A campanha do Correio Braziliense, lançada em parceria com a TV Globo Brasília, tem registrado os melhores ângulos da árvore mais conhecida do cerrado. Desde 18 de julho, leitores e telespectadores têm marcado suas imagens. Ao fim, um caderno especial no Correio e um vídeo na TV Globo Brasília vão celebrar aquelas que melhor souberam captar a essência desse símbolo brasiliense. As fotos podem ser marcadas nas redes sociais com a hashtag #BrasiliaCapitaldoIpe. Outro canal é pelo site www.correiobraziliense.com.br/BrasiliaCapitaldoIpe. Aqueles que usam o aplicativo de mensagens WhatsApp também podem mandar as imagens.

* * *