Profissões em alta

Conheça as carreiras que, segundo especialistas, têm grande potencial para crescer nos próximos anos. E saiba como se preparar para atuar nesse mercado competitivo

postado em 07/11/2017 13:08 / atualizado em 13/11/2017 17:49



O fim do ano vai se aproximando e começam as retrospectivas do que aconteceu ao longo dos meses. Em 2017, diversas crises tomaram contas dos noticiários: crise financeira, política, hídrica e por aí vai. Mas, se por um lado, o cenário não foi dos melhores, por outro, novas oportunidades de mercado nasceram dessas adversidades, com a ascensão de profissões formais e informais que tiveram um boom este ano.

Anderson Lopes, consultor em gestão empresarial, destaca que o cenário de 2017 foi responsável por grande parte do crescimento de certas carreiras, pois muitas nasceram ainda neste ano. “Profissões que até pouco tempo nem existiam começaram a ser muito mais bem-vistas no mercado, como as relacionadas à tecnologia da informação”, exemplifica. Os casos são vários, desde o coaching empresarial, que ajuda profissionais a se inserirem no mercado, até o personal stylist, que ensina a se vestir bem gastando pouco, só para citar alguns.

Quem acompanhou as mudanças dessas relações de trabalho saiu na frente, dando passos largos na contramão das crises. Esse é o caso de milhares de pessoas que começaram a perceber que suas redes sociais poderiam se tornar espécies de empresas, e suas postagens, poderiam ser o seu trabalho. Os chamados digital influencers não batem ponto nem têm horário fixo de entrada e saída, mas podem pagar suas contas com esse trabalho informal.
 
 


O celular é o escritório

 
Influenciadores digitais são pessoas que usam suas contas em ambientes virtuais, como o Instagram, para fazer a divulgação de produtos, marcas, eventos ou tendências, tudo pago por patrocinadores que querem dar visibilidade ao que vendem. Esse serviço se popularizou recentemente, principalmente por causa da abertura, cada vez mais crescente, de conteúdo pago nas redes sociais.

Ju Rodrigues, 36, sempre esteve atenta a essas novidades do mundo virtual, tanto que foi uma das primeiras a fazer o serviço em Brasília. Há nove anos, a influencer criou o seu blog, em uma época em que os primeiros sites pessoais diários estavam aparecendo, e esse foi seu primeiro passo para o trabalho que faz atualmente, divulgando roupas e marcas.

“Como eu ouvia muito 'Ju, onde você comprou essa roupa?', 'como você conseguiu montar esse look, se eu tenho umas roupas tão parecidas, mas não consigo montar?', fiz um Instagram, há quatro anos, e comecei a ter uma boa quantidade de seguidores.” A partir da visibilidade de cada foto postada, algumas lojas começaram a procurar a blogueira para fazer divulgações de peças, aumentando a interação dela com o público e do público com as empresas.

Visibilidade também é a palavra-chave do trabalho de Rafaella Cerqueira, que acumula mais de meio milhão de seguidores no seu Instagram. A jovem de 21 anos cresceu acompanhando o desenvolvimento de cada rede social, e hoje fez do aplicativo de fotos o seu trabalho: “Quando eu tinha cerca de 50 mil seguidores, começaram a aparecer os primeiros contatos. Hoje, desde aplicativos, até lojas, marcas de roupas e eletrônicos me procuram para fazer esse trabalho de divulgação", conta.

A estudante revela que os valores recebidos para cada postagem patrocinada variam muito, mas giram em torno de R$ 400 a R$ 500. Mas nem tudo são flores, assim como uma profissão formal, o trabalho exige esforços e não poderia ser feito por qualquer pessoa, até porque não é todo mundo que consegue se comunicar tão bem e acumular tantos seguidores. Rafaella ainda lembra: “A gente trabalha de segunda a segunda, o dia inteiro, nós precisamos nos dedicar, pensar em conteúdos e ter noção de que o que postamos vai influenciar muitas pessoas”.
 

 

Habilidade: lidar bem com pessoas

Durante as crises de mercado acarretadas pela revolução industrial, os trabalhadores precisaram se reinventar para conseguir lidar com o novo cenário mundial. Naquele momento, as habilidades mais desejadas aos empregadores envolviam as novas tecnologias, assunto ainda pouco conhecido.

Já hoje, as profissões e os cargos exigem conhecimentos diferentes, mas que podem não ser nada novos, como as relações humanas. Para o coordenador do curso de administração da UPIS, Gilmar dos Santos Marques, saber lidar com pessoas e as compreender é um enorme diferencial no mercado contemporâneo. “As mudanças atuais exigem profissionais de múltiplas habilidades, que saibam trabalhar com pessoas e tirar delas o máximo de produtividade. O profissional de hoje deve se preocupar em se preparar para trabalhar em rede, e compreender a melhor forma de entender e tratar problemas complexos.”

Ascensão vital

 
No cenário das constantes evoluções tecnológicas surgem novos profissionais, mas se consolidam outros, que a cada ano observam seu trabalho em alta no mercado, devido às exigências modernas da sociedade. A professora da disciplina gestão do conhecimento na Fundação Getulio Vargas (FGV) de Brasília Michelle Carvalho alerta para esse desenvolvimento: “Somente os profissionais de alto desempenho, capazes de desenvolverem continuamente suas forças pessoais e pontos fortes conseguirão acompanhar as exigências desse cenário globalizado”, opina.

E é com precisão e alto desempenho que uma carreira mostrou que sua ascensão no mercado só não é maior do que sua importância. A engenharia ambiental ganhou destaque frequente no ano da maior crise hídrica brasileira e das queimadas que chocaram o mundo, sendo uma profissão essencial para o desenvolvimento sustentável de cada país.

O profissional que segue essa área encara uma série de desafios, como o engenheiro da Embrapa Carlos Eduardo Pacheco Lima, que explica a amplitude da carreira que escolheu: “As áreas de atuação vão desde a elaboração de projetos técnicos ligados ao meio ambiente, até o monitoramento e a avaliação dos impactos ambientais, o desenvolvimento de soluções tecnológicas voltadas ao reaproveitamento de resíduos e a mitigação dos impactos ambientais, além da gestão ambiental.”
 
Paula Rodrigues/Embrapa Hortaliças
 
Esse vasto território da engenharia ambiental mostra diariamente sua necessidade vital para o mercado e a sociedade, mas Carlos Eduardo lembra que a atuação na área é complexa, assim como os problemas ambientais a serem solucionados. “É um curso pesado no que diz respeito às disciplinas de cálculo, álgebra e física, por exemplo, mas que ainda abrange conteúdo relativamente extenso de química e biologia. Então, o aluno da graduação deve estar preparado para ser versátil e dedicar boas horas de estudo.”

Características dos novos profissionais

A professora da FGV, Michelle Carvalho, cita alguns dos pontos mais presentes nos profissionais modernos, tanto requisitados pelas empresas:

» Competências pessoais relacionadas à autopercepção e à regulação das emoções.
» Motivação e competências sociais, como a empatia e a capacidade de comunicação.
» Capacidade de gerenciamento de conflitos.
» Trabalho em equipe.
» Liderança.

Áreas de destaque
Celso Bazzola, diretor-executivo da Bazz Estratégia de Recursos Humanos, dá exemplos de profissões e áreas em ascensão, mostrando os motivos das altas:
  • Gestão de governança corporativa: dirigir uma empresa nos dias de hoje não é tarefa fácil, monitorar seus resultados e manter de forma coesa a relação de investidores, gestores, conselhos (chamados de stekeholders) é fundamental. Em 2017, esse crescimento continuará, visando dar sustentabilidade aos negócios.

  • Gestores de controladoria: em momento de crise, controlar e focar na redução de custos e acompanhamento de resultados torna-se fundamental para o sucesso e superação das dificuldades.

  • Profissional de trade marketing: a fim de alavancar as vendas e os negócios, esse profissional tende a ser ainda mais importante na estratégia de recuperação;

  • Gestor de projetos em TI: A escolha da tecnologia ideal visando garantir a segurança e velocidade das informações podem ser fatores decisivos no investimento e resultado da empresa. Isso reduzirá tempo, otimizando processos e mantendo um grupo menor de colaboradores altamente qualificados.

  • Profissional de agroecologia: estando ligado ao resultado do PIB no Brasil, esse profissional ajudará a unir a sustentabilidade e sua aplicação no campo, uma vez que nosso país tem um campo vasto no agronegócio a ser explorado.

  • Analista especializado em Big Date: o volume de dados que circula nas redes é quase incalculável, assim, esses dados devem ser tratados e ordenados para serem úteis nas empresas. Tão importante quanto aos dados é a forma como eles serão utilizados, e é este papel desse profissional.

  • Especialista em gerontologia: com o avanço de idade da população brasileira, ficará mais evidente a busca pela saúde e qualidade de vida dos idosos. Com isso, os especialistas dessas áreas terão um imenso campo de trabalho para atender este público.

Continue lendo

publicidade