SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Comissão da Verdade quer solucionar caso Rubens Paiva com apoio da Câmara

O relatório sobre o desaparecimento do deputado cassado pelo regime ditatorial foi entregue na terça-feira ao presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/03/2014 08:17

Ana Pompeu

A Comissão Nacional da Verdade quer apoio da Câmara dos Deputados para solucionar o caso Rubens Paiva. O coordenador da Comissão Nacional da Verdade (CNV), Pedro Dallari, entregou na terça-feira (18/3) o relatório sobre o desaparecimento do deputado cassado pelo regime ditatorial ao presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). Dallari acredita que a pressão da Casa pode fazer com que o general José Antônio Nogueira Belham, que comandava o Destacamento de Operações e Informações - Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), do I Exército, onde Paiva esteve preso, no Rio de Janeiro, conte o que aconteceu em janeiro de 1971.

Apesar de a CNV ter poder de convocação, o coordenador acredita que usar os meios burocráticos não é a opção mais correta no momento. “A atuação da Câmara será um elemento a mais para pressionar as Forças Armadas a relatarem o que foi feito do corpo do deputado e resolver a última incógnita dessa equação”, disse Dallari. O coordenador entregou ao presidente da Casa o relatório preliminar de pesquisa sobre o assassinato do deputado.

Belham prestou depoimento à CNV em maio do ano passado, quando negou envolvimento na morte do parlamentar e alegou estar de férias no período. No entanto, a folha de alterações funcionais do general, emitida pelo Ministério do Exército, registra que as férias foram interrompidas para fazer “deslocamento em caráter sigiloso”, com pagamento de diárias, em 20 de janeiro, data da entrada de Paiva no DOI-Codi do I Exército. Além disso, documento do órgão, encontrado na residência do coronel Júlio Molinas, registra a entrega ao general Belham de dois cadernos de Rubens Paiva.

Pelo menos outras nove pessoas desapareceram e morreram nas dependências do DOI-Codi sob o comando do general Belham. Líder do PDT, o deputado Vieira da Cunha (RS), designado pelo presidente para levar o tema ao colégio de líderes da Casa, não descartou a possibilidade de criação de uma CPI para convocar o militar. No entanto, para tornar a ação mais rápida, ele defende outra abordagem. “Será mais célere se usarmos as estruturas que já existem na Casa, que são as comissões permanentes e, mais tarde, se necessário, transformar em uma CPI” afirmou o parlamentar. Outra opção seria a Câmara acompanhar a oitiva feita com o general pela CNV, já que o colegiado tem poder de convocação.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade