Especial oferecido por:

publicidade

Para minha amada morta: o diretor Aly Muritiba carrega nas cores do drama

Neste drama com toques de thriller psicológico, Aly Muritiba revela a obsessão de um homem apaixonado e até onde ele pode ir

postado em 15/09/2015 07:04

Grafo Audiovisual/Divulgação

Para minha amada morta
, uma produção paranaense, conta a história de Fernando. Depois da morte da esposa, Ana, o policial exemplar Fernando, vivido por Fernando Alves Pinto, tornou-se uma pessoa ensimesmada, introvertida. Tem como foco a criação do filho, o pequeno Daniel. Neste drama com toques de thriller psicológico, Aly Muritiba revela a obsessão de um homem apaixonado e até onde ele pode ir.

Todos os dias, Fernando põe o filho para dormir e tenta resgatar lembranças da companheira arrumando as coisas que ela deixou. Passa o tempo fugindo dos avanços de sua cunhada recém-divorciada. Um dia ele encontra uma fita VHS, e a vida do policial sofre uma reviravolta.

O elenco

Fernando Alves Pinto, Mayana Neiva, Michelle Pucci, Lourinelson Vladmir, Giuly Biancato e Vinicius Sabbag. Classificação indicativa:16 anos

O diretor

Aly Muritiba é roteirista, produtor e diretor cinematográfico, dirigiu sete curtas-metragens, um telefilme e um longa-metragem, com os quais já conquistou mais de 100 prêmios em festivais de cinema.

Suas principais realizações são: os curtas A fábrica, vencedor de mais 60 prêmios em festivais nacionais e internacionais menção honrosa em Clermont-Ferrand, semifinalista do Oscar 2013, e Pátio, vencedor do É Tudo Verdade, Festival Internacional de Documentários.

O roteiro do longa O homem que matou a minha amada morta recebeu o Global Filmaking Award do Sundance Institut em 2013. Tarântula, seu mais recente curta-metragem, foi selecionado para a competição no IFF Veneza de 2015.

Últimas Notícias

publicidade

* * *