Especial oferecido por:

publicidade

Big jato: o longa narra o ritual de passagem de um adolescente

O filme é baseado em livro do jornalista Xico Sá

postado em 15/09/2015 07:05 / atualizado em 16/09/2015 11:36


Baseado no livro homônimo escrito pelo jornalista Xico Sá, Big jato, do diretor pernambucano Cláudio Assis, foi filmado em 2014 no interior de Pernambuco, nas cidades de Pesqueira e Buíque.

O filme trata do eterno e às vezes traumático ritual de passagem da juventude numa pegada poética cheia de prosa. Através das pesadas lentes de seus óculos e de seus imaturos 15 anos, Xico premedita o acaso de seu futuro em uma cidade que flutua no tempo.

República Pureza Filmes e Perdidas Ilusões/Divulgação

Cláudio Assis é íntimo do Festival de Brasília, ganhou o candango de melhor filme com os longas Amarelo manga (2002) e Baixio das bestas (2006).

O elenco

Matheus Nachtergaele, Marcélia Cartaxo, Rafael Nicácio, Artur Maia, Vertin Moura, Francisco de Assis Moraes, Clarice Fantini, Fabiana Pirro, Gabrielle Lopes, Pally Siqueira. Participação especial de Jards Macalé. Classificação indicativa:16 anos.

O diretor

Cláudio Assis inicou a carreira como ator e cineclubista em Caruaru (PE), até a direção do primeiro longa-metragem, Amarelo manga (2002). O diretor construiu uma trajetória que inclui a direção e produção de curtas, documentários e longas autorais.

Esses últimos são resultado de profunda reflexão sobre a linguagem cinematográfica e seus meios de produção.

A obra de Cláudio Assis dialoga entre si e constrói um discurso cinematográfico próprio, focado na reflexão do comportamento humano.

O diretor realiza projetos de baixo orçamento, embora na tela não transpareçam as dificuldades e as limitações enfrentadas para a realização.

Entre seus trabalhos de direção, destacam-se Baixio das bestas (2006), premiado nos festivais de Brasília, Roterdã, Miami e Paris; Amarelo manga (2002), premiado em Brasília, Toulouse (França), Miami e Fortaleza. Já Chico Science — Retratos brasileiros (2008), Vou de volta (2007) e Febre do rato (2011) foram premiados em festivais como Paulínia e Lisboa.

Últimas Notícias

publicidade

* * *