50ª edição do Festival de Brasília trará muito audiovisual à cidade

O primeiro final de semana já conta com a exibição de três filmes. Confira mais de um dos maiores festivais do Brasil

postado em 15/09/2017 10:54 / atualizado em 15/09/2017 10:59

Ricardo Daehn

Still/Reprodução


A 50ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro será aberta nesta sexta (15/9), com sessão para convidados, em que será prestada homenagem ao cineasta Nelson Pereira dos Santos. Com as portas abertas para o público, a partir de sábado (16), o Cine Brasília (106/107 Sul) abrigará a mostra competitiva.
 
Duas sessões darão a largada, neste sábado, no evento: o gaúcho Ismael Caneppele exibirá Música para quando as luzes se apagam, às 19h (antecedido pelos curtas Nada e O peixe). Na sequência, às 21h30, será a vez do curta Peripatético e do longa Vazante, de Daniela Thomas. No domingo, às 21h30, as atrações serão o curta Inocentes e o longa Pendular. Todos os títulos terão exibição simultânea no Riacho Fundo, no Gama e em Taguatinga, além de Sobradinho.
 
Limites entre ficção e realidade se apagam no longa do estreante Ismael Caneppele. Emelyn Fischer, um menino com corpo feminino, e Julia Lemmertz estrelam a fita em que, cercando a jovem Emelyn, cada vez mais, uma pretensa escritora se aproxima, na verdade, de Bernardo.
  
Trama de época
 
Outra personagem isolada é Beatriz (Luana Nastas), a protagonista de Vazante, a segunda atração da mostra competitiva de sábado. Filme presente na lista brasileira dos pré-selecionados para concorrer à vaga pelo Oscar de melhor filme estrangeiro, Vazante leva a assinatura de Daniela Thomas, parceira sistemática de Walter Salles (Linha de passe) na realização de outros longas.
 
Ambientado em 1821, Vazante acompanha um senhor de escravos que vê o mundo ruir, com problemas econômicos decorrentes da limitação na exploração de diamantes. Nisso, desponta Beatriz, uma possibilidade de amenizar as dores de amor de Antonio (Adriano Carvalho), o protagonista que perde a mulher em trabalho de parto. Completam o elenco, Sandra Corveloni (premiada como melhor atriz, em Cannes), Juliana Carneiro da Cunha e Fabrício Boliveira.
 
No Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, outra história de fundo romântico é Pendular, da diretora Julia Murat. Estrelado por Raquel Karro e Rodrigo Bolzan, é um filme que mistura a relação de um casal de artistas em processo de criação e as opções pessoais feitas por cada um. Divisão equitativa de espaço, dentro de um galpão abandonado, será apenas uma das questões levantadas pelo casal.
 


Últimas Notícias

Últimas Notícias Veja Mais

* * *