Brasil não está disputando liderança sobre o Haiti, diz Celso Amorim

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/01/2010 16:12

O ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, disse hoje (21) que o Brasil não está disputando liderança com nenhum país sobre os esforços humanitários no Haiti. Segundo o chanceler, os brasileiros estão apenas cumprindo sua tarefa dentro do escopo da Missão das Nações Unidas para o Haiti (Minustah).

“Fez-se muito barulho em torno de eventuais rivalidades e até suposições, que seriam absolutamente mesquinhas, de que o Brasil estaria disputando liderança lá com os Estados Unidos. Não estamos disputando liderança com ninguém. O Brasil, dentro da Minustah, está desempenhando sua tarefa. Os Estados Unidos estão mandando forças que estão dando ajuda efetiva na parte humanitária”, disse o ministro durante velório do vice-representante das Nações Unidas para a Minustah, o brasileiro Luiz Carlos da Costa, morto no terremoto da semana passada no país caribenho.

Celso Amorim disse que segue amanhã (22) para o Haiti.

“Nessas situações sempre acontecem pequenos percalços. Nós tivemos aquela dificuldade com alguns voos [para pousar no Aeroporto de Porto Príncipe, controlado pelos americanos]. Mas eu falei com a secretária de Estado [dos EUA, Hillary Clinton] que foi muito solícita e imediatamente determinou que se desse atenção e prioridade adequada ao Brasil e a outros que estão fornecendo ajuda humanitária”, disse Amorim.

Segundo o chanceler, desde o terremoto, o presidente norte-americano, Barack Obama, já falou duas vezes com o presidente Lula. “Na segunda vez, inclusive, para sublinhar a importância que os Estados Unidos atribuem a essa coordenação com a Minustah. De modo que o nosso empenho agora é em ajudar o Haiti e o povo haitiano”, disse.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.