"Dinheiro vivo e não mercadorias" para o Haiti, pedem agências da ONU

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/01/2010 19:02

France Presse

DAVOS - As agências da ONU presentes no Fórum Econômico de Davos pediram nesta quarta-feira aos doadores fornecerem, na fase atual, "dinheiro vivo e não mercadorias" para o Haiti, através dos circuitos das Nações Unidas e das grandes ONGs.

Segundo Catherine Bragg, da coordenação humanitária da ONU (OCHA), "no que diz respeito a mercadorias há duas exceções: os haitianos necessitam desesperadamente de comida pronta para consumir e barracas". Ela lembrou que se aproxima a temporada de chuvas no país.

O Fórum Econômico (WEF) de Davos faz da crise humanitária no Haiti uma de suas prioridades.

O ex-presidente americano Bill Clinton, enviado especial da ONU no Haiti, lança nesta quinta-feira em Davos, junto com o presidente do WEF, Klaus Schwab, uma iniciativa para a reconstrução e o desenvolvimento a longo prazo do país centro-americano.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.