Amorim apela à comunidade internacional por mais investimentos para o Haiti

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/01/2010 15:49

Brasília e Davos (Suíça) - O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, apelou hoje (28) à comunidade internacional para que se una em busca de soluções concretas para a recuperação da economia do Haiti.

Para o chanceler brasileiro, é fundamental a cooperação da iniciativa privada, com mais investimentos no país, que foi devastado por um terremoto no último dia 12, além de financiamentos de grandes instituições financeiras e de ajuda do mercado dos países mais ricos.

“Para o crescimento sustentável da economia haitiana, vai ser preciso um investimento privado”, disse Amorim à EBC. “Para isso, é preciso haver financiamento e mercado. Financiamentos por meio de bancos nacionais, mas também de bancos internacionais e mercado dos países mais ricos”, afirmou.

Em seguida, o chanceler acrescentou: “O Brasil também está disposto a abrir seu mercado para os produtos haitianos.”

Uma das propostas apresentadas durante as discussões realizadas hoje (28) em Davos, no 40º Fórum Econômico Social, é a aplicação de tarifa zero aos produtos originários do Haiti nas próximas duas décadas. A ideia é que os países que tiverem condições passem a aderir à medida como meio de colaborar para a recuperação do Haiti.

Durante sessão extraordinária no fórum, o ex-presidente norte-americano e representante da Organização das Nações Unidas (ONU) nas discussões sobre o Haiti, Bill Clinton, elogiou a atuação brasileira. Segundo Clinton, o Brasil cumpriu seu papel de forma “extraordinária, magnífica”.

Pelos dados mais recentes, cerca de 170 mil pessoas morreram em decorrência do terremoto ocorrido no Haiti. Para Celso Amorim, é necessário que a comunidade internacional coopere para investir em possibilidades de emprego e alternativas para o fornecimento de energia e alimentação, além do desenvolvimento do meio ambiente.