Marinha vai dobrar contingente no Haiti e planeja o aumento da base militar no país

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/02/2010 19:48

Rio de Janeiro - A Marinha vai dobrar o número de fuzileiros que atuam no Haiti, passando dos atuais 209 para 410, e deverá ampliar a base que tem no país, para garantir suporte à missão brasileira de apoio e reconstrução do país caribenho.

A informação foi divulgada nesta segunda (1º/2) pelo subchefe de Operações do Comando de Operações Navais, contra-almirante José Aloysio de Melo Pinto, na partida do navio Almirante Sabóia, que leva suprimentos e recursos para o povo haitiano.

“Este processo [de aumento do número de fuzileiros] será gradual. Haverá uma tropa de 90 homens que estará indo no início de fevereiro e os demais irão posteriormente”, disse o contra-almirante.

Sob o comando do capitão-de-mar-e-guerra Oscar Moreira da Silva Filho, o navio Almirante Saboia saiu hoje do Rio de Janeiro, levando cerca de 700 toneladas de carga, com chegada ao Haiti prevista para o próximo dia 17, onde ficará por 30 dias em apoio às operações.

São 106 toneladas de medicamentos, 100 toneladas de comida e água, três toneladas de roupas, 600 colchonetes e 60 tendas para os haitianos. Também estão sendo levados 37 veículos diversos, desde jipes até caminhões de transporte de pessoas, além de água e combustível.

O navio também dispõe de equipamentos de dessalinização, podendo gerar 45 mil litros de água potável por dia, a partir da água do mar, quantidade suficiente para abastecer toda a tripulação e ainda ser distribuída em terra.

Entre a tripulação, composta por 37 oficiais e 268 praças, está uma equipe de saúde, com dois médicos, um dentista e seis enfermeiros. Segundo José Aloysio, ainda este mês, outro navio, o Mattoso Maia, partirá para o Haiti, com capacidade para levar até 1,5 mil toneladas de carga.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.