SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Da pele à internet, Brasília recebe homenagens de amantes da capital

Reportagem dá exemplos de como brasilienses mostram sua paixão pela capital federal

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/04/2014 07:00 / atualizado em 20/04/2014 19:08

Larissa Rodrigues /

Brasília não é só política, Esplanada e Praça dos Três Poderes. Brasília é arquitetura, é arte, cultura e encanta os que aqui nasceram e aqueles que foram acolhidos pela capital. Há quem diga que Brasília é só um amontoado de prédios. Há quem pense que a capital é tomada por corrupção. Há ainda aqueles que têm certeza que todos por aqui são bem de vida.

Qual brasiliense que ao viajar para outras regiões do país nunca teve que responder a perguntas como: “Você é filho de político?”e “Como vai a Dilma?”. Esta última, em especial, soa engraçada, pois sempre nos perguntamos se as pessoas realmente pensam que esbarrar com a presidente Dilma no meio da rua é algo comum no nosso dia a dia.

 

Blog Sem esquinas/Divulgação
 

 

Brasília não começa e termina na Esplanada dos Ministérios e foi refletindo sobre isso que a jornalista Mariana Fagundes, 22 anos, criou o blog Sem Esquinas, seu trabalho de conclusão do curso. “Percebi que seria legal investir num projeto que tentasse desmistificar todo este mito de capital fria, cinza, habitada essencialmente por políticos e movida à corrupção”, explica Mariana, natural do Rio Grande do Sul, mas que já vive em Brasília há pouco mais de dez anos. Contrariada, ela teve que se mudar para a capital, se encantou pelos brasilienses, passou a ver Brasília com outros olhos e decidiu “contar as histórias de quem vive em diversos cantos da capital, de quem nada tem a ver com a Dilma ou qualquer outro político.”

Os textos do blog são produzidos em quatro gêneros: crônica, reportagem, perfil e conto e, por meio de cada um deles, Mariana revela uma Brasília de histórias emocionantes de gente que, mesmo enfrentando todos os problemas de uma cidade comum, ainda consegue se apaixonar diariamente pela capital e se sentir em casa no cerrado. “Depois de 10 anos de planalto central, me sinto muito brasiliense”, diz.

E não faltam motivos para se encantar por Brasília. Mas é a arquitetura da capital que nunca passa despercebida. Autor da frase “Brasília surgia como num passe de mágica, um milagre”, Oscar Niemeyer jamais imaginaria que seus traçados pudessem um dia marcar a pele daqueles que não se cansam de demonstrar amor e gratidão à capital.

Foi esse sentimento que levou a estudante Marcella Rodrigues, 25 anos, a tatuar o Museu Nacional da República Honestino Guimarães. A jovem se diz apaixonada pela cidade e por sua história e revela que gosta de passear pela capital em busca de inspiração para o dia a dia. “Tenho apreço em conhecer curiosidades, museus, biografias e qualquer tipo de referência da cidade, da arquitetura e de seus idealizadores”, conta Marcela, que, além do museu, tem também a tatuagem do projeto de Lucio Costa.

Arquivo pessoal


Com diversos monumentos de Niemeyer compondo a arquitetura de Brasília, a jornalista Cecilia Sóter, 24 anos, não teve dúvidas e escolheu os principais, como a Catedral, o Palácio do Planalto e a Torre de TV Digital de Brasília, para compor a tatuagem que tem na perna. Nascida e criada na capital, Cecilia admira “as pessoas, o clima, e a beleza” da cidade e diz que Brasília “é o lugar ideal para ter uma vida completa”, conta ela.

 

Foto: Yuri Felipe Freitas


Brasília para gringo ver

No que depender da publicitária Claudia Costa, 25 anos, Brasília não será somente a cidade dos brasilienses e brasileiros, mas também dos gringos. Criadora do blog Welcome to Brasília, Claudia pretende mostrar uma Brasília com dicas especiais de quem nasceu aqui e conhece bem a capital. O blog, desenvolvido como projeto de fim de curso, tem como objetivo apresentar a cidade para os turistas que vão aproveitar a Copa do Mundo. A ideia é “oferecer roteiros de Brasília que vão além das suas características de capital e centro político do país, e tornar conhecida internacionalmente a Brasília dos brasilienses”, explica Claudia.

Breno Fortes CB/D.A Press


Durante seis meses, a publicitária visitou cerca de 70 lugares de Brasília para colocar o projeto em prática, e fugindo dos roteiros turísticos tradicionais, como a Esplanada dos Ministérios, para poder apresentar os roteiros típicos dos moradores da cidade, como os parques, os churrasquinhos das entrequadras, os esportes no Lago Paranoá entre outros.

A página, que também tem a opção de ser visualizada em inglês, com tradução profissional, logo caiu nas graças dos brasilienses e, em seguida, dos estrangeiros. O blog já foi visualizado em 112 países diferentes, com leitores nos Estados Unidos, Índia, Itália, Austrália, Indonésia e Alemanha. Recentemente, o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), indicou o blog nas redes sociais do órgão. Para Claudia, a página mostra a verdadeira Brasília: “Única, diferente e imensa, com belezas que vão muito além da Praça dos Três Poderes e Esplanada dos Ministérios”, conclui.

publicidade

Tags:

publicidade