Clima influencia diretamente no jeito de ver o horizonte em Brasília

Os incêndios, os ipês, a névoa seca e outros fatores dão o tom de cada mês do ano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/04/2014 07:00

Dizem que em países tropicais as estações do ano são pouco definidas. Os brasilienses podem dizer que conhecem bem como funciona o clima da cidade durante os doze meses. O começo de ano normalmente conta com dias que se iniciam cinzentos, ganham tons ensolarados à tarde e terminam em chuva. O clima úmido segue até meados de abril, quando as gotas começam a se tornar mais raras.

Em maio, estabelece-se o período conhecido da seca. A partir do meio do ano, jardins e canteiros da cidade passam do verde vivo ao marrom, que facilmente propaga as chamas. O cuidado com incêndios deve ser redobrado. Nessa época é que o famoso céu de Brasília, de azul profundo e sem uma única nuvem, preenche a paisagem e encanta a todos.

O clima quase desértico segue até setembro, quando a primavera candanga traz os primeiros indícios de chuva. E com a volta da água, diversas plantas mostram sua beleza. É o caso dos ipês-amarelos espalhados pela cidade. Em outubro e novembro, com um volume maior de chuva, é a vez dos ipês-roxos darem cor às ruas, contrastando com o cinza das nuvens.

Chegado o fim do ano, a água rola pelo Natal e pelo réveillon. Tristeza para as crianças que estão de férias. Alegria para quem gosta de ficar em casa curtindo um filme com pipoca. Assim, fecha-se o ciclo do céu candango.

E não são apenas as palavras que mostram essa história. Números e imagens provam que poucas cidades têm estações tão diferentes e definidas.



Dados médios dos últimos dez anos (em número de dias de precipitação)
Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.