SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Brasília: "não esqueça o hidratante, o soro e o casaco"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/04/2014 07:00 / atualizado em 20/04/2014 20:34

Bethânia Nunes/Esp./CB/D.A Press


Brasília é conhecida como a capital da diversidade. Entre os mais de dois milhões de habitantes que aqui vivem, estão goianos, mineiros, cariocas, pernambucanos e gaúchos. São pessoas que vieram descobrir o que a capital tinha a oferecer e não arredaram mais o pé daqui.

Quem vem pela primeira vez ouve conselhos como: “não esquece o hidratante, o soro e o casaco”. Mas ao chegar, eles se deparam com um céu azul, cheio de nuvens, digno de desenho infantil. A cidade encanta pelas áreas verdes e pelo livre espaço para convivência entre jovens e adultos.

Até meados de 2013, a produtora cultural Isis Maria Oliveira, 28 anos, morava na capital de São Paulo. O que mais chama a atenção dela são as muitas semelhanças entre a cidade de onde nasceu, no interior paulista, e a capital federal por ser uma cidade setorizada e pelo reduzido número de automóveis nas entrequadras. Com um filho pequeno, as áreas verdes e os parques representam melhor qualidade de vida para eles.



Ao contrário de Ísis, a promotora e advogada Maria José Cavalcanti vive há mais de 40 anos na capital e lembra como a cidade cresceu e junto a ela o desenvolvimento cultural. “Ao retornar na década de 80, já encontrei outra Brasília. Havia mais estrutura, o mercado consumidor havia crescido e já havia o Teatro Nacional com três salas”, comentou.



Mas Maria José também ressalta que com o desenvolvimento vieram algumas desvantagens, assim como em várias cidades brasileiras. Entre elas estão a gritante diferença entre o nível de vida de quem mora no Plano Piloto e de quem mora nas cidades satélites; além do aumento do número de crimes.

Para o casal Fernanda Crispim, 17 anos, e Juan Gonçalves, 19 anos, que nasceram em Brasília e ocupam o tempo livre andando de skate, a cidade oferece uma boa estrutura. As largas áreas cimentadas, criadas por Oscar Niemeyer, como o Complexo Cultural da República - praça com o Museu da República e a Biblioteca Nacional -, são ideais para praticar o esporte e encontrar os amigos no final da tarde. “Comparada a outras cidades, Brasília tem um espaço bem amplo para o skate e outros esportes”, diz Fernanda.

Com informações de Bethânia Nunes.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade