Governo anuncia queda de desmatamento

Taxa oficial de desmatamento na região amazônica cai 17,7% em 2014. Dados foram div ulgados pelo Ministério do Meio Ambiente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/11/2014 15:58

 

 

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgados nesta quarta-feira (26) mostram uma queda de 17,7% no desmatamento da Amazônia Legal. A medição foi realizada entre agosto de 2013 e julho de 2014.



De acordo com o levantamento do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes), a área atingida pela remoção total de cobertura vegetal diminuiu de 5.891 km2 para 4.848 km2. Esta é a segunda menor taxa desde o início da medição em 1988. Os números são acima apenas das estatísticas divulgada no biênio 2011-2012, quando foram registrados 4571 km2 de desmate.

Em entrevista coletiva realizada durante o anúncio dos dados, o diretor do Departamento de Políticas de Combate ao Desmatamento do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Francisco Oliveira, afirmou que a queda do desmatamento é resultado de programas sociais e ambientais como o Bolsa Verde. “O ordenamento de terras foi um diferencial para ancançarmos esses números positivos. O Ministério do Meio Ambiente recebeu cerca de quatro milhões de hectares do Ministério do Desenvolvimento Agrário que em grande parte foi transformada em área de preservação ambiental”, explica.

 

O superintendente de conservação do WWF-Brasil, Mauro Armelin, afirmou que os resultados divulgados são bons, porém é nítida a ocorrência de infrações em novas áreas, o que é preocupante, pois indica que além de estarem desmatando em áreas de menor metragem a fim de driblar a fiscalização, novas frentes estão sendo abertas, apontando o deslocamento dos criminosos ambientais. “Essa constatação de desobediência à legislação ambiental exige uma resposta rápida e eficaz do governo federal e o cumprimento à risca da lei, sob pena de as metas voluntárias para redução das emissões de gases de efeito estufa até 2020 não serem cumpridas”, disse Armelin.

 

Evolução do desmatamento na Amazônia segundo o MMA



Segundo Oliveira, a fiscalização mais efetiva, intensificada em 2013 após a constatação do aumento do desmatamento naquele ano, também trouxe resultados positivos. “Freamos práticas ilegais como a grilagem eo comércio ilegal de madeira e vamos continuar perseguindo o objetivo de reduzir o corte raso a 3.925 km2 até 2020”.

Conflito de resultados
O anúncio do Ministério do Meio Ambiente acontece um mês após o Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) apontar um aumento de 191% do desmatamento na região da Amazônia Legal (de 288 para 838 quilômetros quadrados). Os números se referiam ao ao período de agosto a setembro de 2014 em comparação com o mesmo período do ano anterior. Na ocasião o porta voz do Imazon, Adalberto Veríssimo. afirmou ser “difícil reduzir o desmate neste ano”.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.