SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Visitas pedagógicas

Estudantes aliam conhecimento ao lazer em duas escolas gaúchas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/09/2012 18:53

A cada trimestre letivo, os estudantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Herbert José de Souza, de Alvorada, Rio Grande do Sul, visitam casas de cultura e museus de arte e de ciências. Eles também saem para assistir a filmes e peças de teatro, além de participar de pesquisas de campo em patrimônios culturais.

“O objetivo das saídas pedagógicas é agregar conhecimento”, diz a professora Cecília da Silva Camilio. Graduada em artes visuais, com especialização em arte contemporânea e ensino da arte, ela trabalha com alunos do ensino fundamental e da educação de jovens e adultos.

As saídas são agendadas com pelo menos 15 dias de antecedência. O planejamento das visitas é feito de acordo com o conteúdo desenvolvido nas aulas.

Segundo a diretora da escola, Cláudia Martins Canabravo, as saídas pedagógicas proporcionam aos alunos lazer, cultura e conhecimento. “Elas promovem a integração entre alunos e professores e complementam o trabalho em sala de aula”, destaca. Com 13 anos de experiência em sala de aula e há cinco na direção da escola, Cláudia é pedagoga, com especialização em supervisão escolar.

A professora Letícia Beras participa dos passeios pedagógicos sempre que possível. “Acredito que a experiência e a vivência são as grandes responsáveis pelo processo de aprendizagem significativa”, enfatiza Letícia, que tem dez anos de magistério e dá aulas de ciências. “Conhecer, enxergar, ouvir ou tocar o que é explicado em aula é o que fará a diferença entre o conhecimento real, que será levado para a vida, e o teórico, que é, muitas vezes, apenas estudado para a prova.”

De acordo com o professor Marcelo da Silva Rios, além de contribuírem para ampliar o conhecimento, as saídas pedagógicas colaboram, de forma positiva, para o amadurecimento e a mudança de postura comportamental dos alunos. Com licenciatura plena em história e cursando pós-graduação em pedagogia da arte, ele é professor há quatro anos.

Na visão de Rios, a educação, no contexto atual, não se restringe ao ambiente escolar. “É preciso perceber que a todo o momento se faz história, e que a história está em todos os espaços produzidos pelos seres humanos”, enfatiza.

Imagens — Em Sapucaia do Sul, também na região metropolitana de Porto Alegre, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboim promove visitas pedagógicas a diferentes locais, como feiras, museus, cinemas, fábricas, jardins botânico e zoológico. De acordo com o diretor da instituição, Cézar Augusto Ramgrab, conhecer os lugares e contemplar as imagens in loco vale mais do que mil palavras.

Cada saída é precedida de contato dos professores com os responsáveis pelos locais a serem visitados e sempre leva em consideração o conteúdo ministrado em sala de aula. “Procuramos proporcionar aos estudantes experiências que contribuam de forma significativa para seus conhecimentos”, ressalta Ramgrab. Com 27 anos de magistério, formado em educação física, ele está na direção há dois anos.

Para a professora Rosângela Plentz Giralt, que atua como substituta, as visitas pedagógicas enriquecem o trabalho realizado em sala de aula e ajudam a desenvolver a disciplina e a concentração nos alunos. Há 15 anos no magistério, Rosângela tem experiência tanto na educação infantil quanto nas séries iniciais do ensino fundamental.
Tags:

publicidade