SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Disputa animal

Estreia hoje Virando bicho, documentário que registra a trajetória de seis jovens na guerra pela aprovação nos vestibulares

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/11/2012 09:09 / atualizado em 09/11/2012 17:04

A indecisão na hora de responder a velha pergunta “o que vou ser quando crescer?”. O medo do fracasso, a insegurança, as inúmeras incertezas. O desafio quase selvagem de se sobressair no meio de milhares de pessoas que competem por uma vaga no ensino superior. Toda a aventura de ser vestibulando está no Virando bicho, documentário que estreia hoje nos cinemas. Em Brasília, as sessões são limitadas.

O filme acompanha a trajetória de seis jovens do Rio de Janeiro, São Paulo e de uma comunidade indígena em Sergipe. As realidades de cada um são diferentes, mas o sonho é o mesmo: ser aprovado num rigoroso processo de seleção de uma universidade brasileira.

O documentário demorou dois anos para ficar pronto. O título é uma brincadeira com a gíria "bixo" usada para designar os calouros, e faz referência ao ritmo selvagem que tem competição por um lugar na universidade.

“O vestibular é um treinamento para o exército”, conta Samara Viana ao Correio. A estudante é uma das personagens do filme, e narra a experiência como vestibulanda desde a época do ensino médio em uma escola pública do Rio de Janeiro. “Estudei em escola do governo a vida toda. É difícil se sentir preparada. Mas não desistir é o mais importante”, Samara receita.

Dificuldades que Carolina Fairbanks não precisou passar. Ela estudou em uma boa escola de São Paulo, fez intercâmbio no exterior e frequenta um curso preparatório de renome. Carolina confessa no filme que a vocação pelo direito, curso que escolheu para estudar, e um dos mais difíceis de passar em qualquer vestibular do país, está no sangue. Mas os privilégios não diminuíram o tamanho do desafio.

Amadurecimento
“Nessa fase da vida, aceitar o desafio de conquistar um objetivo difícil, se dedicar a ele, e falhar no final é uma decepção muito grande. Vestibular é duro para qualquer um”, garante Carolina. Para ela, o ambiente do cursinho é importante para amadurecimento da escolha do candidato.

É esse cenário que o documentário de Alexandre Carvalho e Silvia Fraiha registra. Cursinhos-show, turmas imensas, simulados. Realidade bem conhecida para 5,7 milhões de candidatos que prestaram no último fim de semana o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“Queríamos mostrar como esse universo é complexo em diferentes níveis. Para chegarmos ao resultado, entrevistamos mais de 100 vestibulandos de diferentes classes sociais”, explica Silvia, a co-diretora. A dica é se inspirar nas histórias de Samara e Carolina, que dividem a cena com Renan, Ana, Erick, Olívia, e outros milhares de vestibulandos. Nessa guerra, todos viram bicho, mas só alguns se tornam um bixo de verdade.

Os índios correm atrás do diploma

Se na cidade grande é difícil manter o ritmo dos estudos, longe dela os obstáculos parecem ser maiores. Na aldeia sergipana que o documentário revela, os índios se preparam para o vestibular da universidade federal do estado, mas sem perder as raízes da tradição. "Eles são jovens inquietos, querem descobrir o mundo, conhecer mais, como todo jovem. Mas o objetivo final é voltar e fortalecer a comunidade", descreve Alexandre Carvalho.

Milena Xokó não quer ser subestimada."Todo mundo acha que índio tem que permancer primitivo", conta a indígena às câmeras. Na comunidade, as aulas preparatórias para o vestibular só acontecem uma vez ao mês. "É outro ritmo. A vantagem é que eles não convivem com o estresse da cidade grande. O ônus é que, nessa guerra, os índios estão em desvantagem", completa Silvia Fraiha.

O filme é sobre vestibular, mas registra um rito de passagem para o jovem brasileiro. Costurando as histórias dos seis personagens, especialistas e pensadores como o educador Renan Monteiro, o jornalista Heródoto Barbeiro e o médico Dráuzio Varella analisam a educação no Brasil e a validade do modelo de seleção em vigor nas universidades do país.

VIRANDO BICHO
(Brasil, 2012, documentário, 75min; classificação indicativa livre). De Alexandre Carvalho e Silvia Fraiha. Com Ana Deise de Souza, Carolina Fairbanks e Erick Rocha. Espaço Itaú CasaPark 8, às 18h30. Amanhã, também às 11h.

Confira o trailer do filme. 

Tags:

publicidade