Histórias escritas na madrugada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2012 10:59 / atualizado em 14/11/2012 11:01

A educação dentro de limites religiosos rígidos é determinante para entender a literatura produzida pela escritora de best-sellers sobre vampiros e lobisomens Stephenie Meyer. Nascida em 1973, no seio de uma família mórmon, ela transferiu boa parte dos preceitos religiosos com que foi criada para dentro dos livros ficcionais elaborados por ela. A escritora confirma alguns deles: a virgindade guardada até o casamento e o livre arbítrio, por exemplo. A juventude de garota certinha, frequentadora da igreja e que nunca ingeriu álcool, também é explicada como uma das razões para as tramas água com açúcar publicadas em quatro livros: Crepúsculo, Lua nova, Eclipse e Amanhecer.

Vários episódios da vida da escritora se relacionam com a trajetória da heroína gestada por ela, Isabella Swan. Stephenie nasceu em Hartford, Connecticut, uma das regiões mais frias dos Estados Unidos e mudou-se para o ensolarado e seco Texas. Assim como a adolescente, Bella (Kristen Stewart) deixa o luminoso Arizona para viver junto ao pai na fria e estranha Forks. Frequentando as aulas no ensino médio, encontra o amor de sua vida, o vampiro Edward (Robert Pattinson), também um estudante secundarista. O relacionamento dos dois é conturbado. Edward precisa controlar o desejo de beber o sangue de sua amada enquanto Bella deseja se transformar em imortal (a contragosto do amado) para que ambos fiquem juntos para sempre. Entre idas e vindas do casal, Bella preserva a virgindade até o matrimônio.

Stephenie conheceu o futuro marido Christian Meyer em atividades da igreja com 4 anos de idade. No entanto, só começaram a namorar na adolescência. Stephenie foi pedida em casamento no segundo encontro com o namorado Chris, mas se negou a alterar o status de relacionamento entre os dois. Reza a lenda que o pedido foi repetido por pelo menos 40 vezes até que ela disse “sim”.

Enquanto o marido trabalhava, Stephenie dividia-se entre os trabalhos de casa, os cuidados com os três filhos e as atividades na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Do período, se recorda principalmente do equilibrismo feito ao amamentar bebês e ler romances ao mesmo tempo.

Foi sua paixão por literatura que a levou a varar madrugadas sem dormir escrevendo a história sobre um irrealizável amor adolescente entre uma mortal e um vampiro. Uma espécie de Romeu e Julieta sobrenatural escrito por uma dona de casa de 29 anos. “Havia uma linda imagem de um rapaz coberto de luz conversando com uma garota normal. Ele contava uma história e ela escutava. Ele confessava o quanto se sentia compelido a matá-la ao mesmo tempo que a amava muito”, declarou sobre o sonho responsável pelo plot de seu romance.

Atualmente, a escritora trabalha na adaptação cinematográfica do livro A hospedeira, também de sua autoria. Apesar dos boatos de que ela estaria com outro lançamento crepuscular engatilhado, nada foi confirmado oficialmente nem pela editora norte-americana e nem pela brasileira. Uma das versões do disse me disse afirma que a continuação gestada por Meyer seria focada na narrativa do romance entre o lobisomen Jacob (Jason Lautner, nos filmes) e Renesmee (Mackenzie Foy), a filha mestiça de Bella e Edward. Um dos empecilhos para a realização do novo livro é um tanto quanto bizarro mas condiz com o universo criado pela própria Meyer. Caso Jacob e Renesmee tenham filhos, qual será a genética e o comportamento de uma criatura parte humana, vampira e parte lobisomen? Difícil, hein! (YG)


Os vampiros na intimidade

Os vampiros de Stephenie Meyer desejam se casar e se agrupar em núcleos familiares

Eles não dormem nunca porque não precisam de descanso. O ócio é utilizado em atividades culturais como leitura de livros e audição de música clássica

As criaturas das trevas suportam a luz do sol mas produzem um brilho epitelial parecido com o do diamante. Para não serem desmascarados durante um inocente passeio pela floresta evitam usar roupas de verão

A turma dos vampiros “gente boa”, a família Cullen, mantém uma dieta vegetariana. O que no mundo de Meyer significa nutrição por meio de sangue de animais silvestres

Eles podem se reproduzir como os humanos. Mesmo morto há uns 100 anos, Edward foi capaz de fertilizar Bella

Paródias para todos os gostos

A inocência do primeiro amor no ritmo das batidas de um coração imberbe em Crepúsculo, aquilo que encanta fãs histéricos ao redor do mundo, virou motivo de piada global. A trajetória da Saga foi acompanhada com atenção por aficionados enquanto milhares de produções caseiras ou profissionais foram realizadas para tirar sarro dos vampiros adolescentes. O comediante, Paulinho Serra, integrante do elenco dos programas humorísticos da MTV, não resistiu e participou da sátira Vestíbulo, produzida e levada ao ar no canal teen.

“Crepúsculo é um prato cheio para a piada. A desconstrução do que a gente já tem formado sobre como deve ser um vampiro é enorme. Parece um Barrados no baile vampirizado, por isso, criamos a sátira do vampiro burro no cursinho pré-vestibular”, revela Serra, que vive o papel do candidato que está tentando letras há 200 anos. O ator nunca leu um só livro da série porque estava ocupado demais com a biografia do roqueiro Ozzy Osbourne: “muito mais vampiro do que qualquer um dos vampiros da série”.

Para o humorista brasileiro, existe uma nobre função em satirizar fenômenos culturais dessa magnitude. “A coisa da idolatria histérica a qualquer coisa é uma besteira. Sei que os adolescentes têm essa característica, mas levá-lo a se perguntar se a mesma dedicação está sendo feita para pessoas que realmente importam é essencial. Tem de abrir a cabeça da galera diante de um efeito midiático tão forte”, analisa.

Além de servir como combustível para televisivos, Crepúsculo foi satirizado no seu campo de origem, a literatura. O livro Opúsculo, publicado pela revista de humor The Harvard Lampoon, ganhou edições em várias línguas, inclusive o português do Brasil, e assim como a obra que lhe deu origem, também figurou na lista de best-sellers do The New York Times. (YG)

 

 

Tags: