SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Exposição Gil 70

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/12/2012 15:54

Marta Suplicy com Gilberto Gil, André Vallias e Milú Villela

“Homenagear Gilberto Gil é homenagear uma pessoa cuja rotina é nos surpreender, nos encantar e nos mostrar que o futuro e o passado se unem para pensar cada vez maior o nosso Brasil”. Essas foram algumas das palavras da ministra da Cultura, Marta Suplicy, poucos minutos antes da abertura da exposição Gil 70, que fica em São Paulo até o dia 17 de fevereiro de 2013, no Itaú Cultural, com entrada gratuita.

A mostra foi aberta nesta terça-feira (11/12) em cerimônia que reuniu, além da ministra da Cultura, o prefeito eleito Fernando Haddad, o secretário de Cultura do Estado de São Paulo, Marcelo Araújo, a presidente do Itaú Cultural, Milú Villela, o próprio Gilberto Gil e diversos artistas.

Gilberto Gil foi ministro da Cultura de janeiro de 2003 a julho de 2008. Em sua fala, a ministra Marta Suplicy não só o elogiou como artista, mas também sua trajetória política: “Gil deixou um trabalho com enorme capilaridade e inovador”, disse em referência ao período em que ele esteve à frente do MinC. A ministra citou a implementação dos Pontos de Cultura, pelos quais se disse apaixonada, como uma das importantes políticas públicas conquistadas durante a gestão do compositor.

Ministra da Cultura na solenidade de abertura da exposição Gil 70

A Exposição

A mostra comemora os 70 anos do músico, completados em junho, e é composta por 23 obras inéditas, das mais variadas expressões artísticas, que retratam momentos da vida e obra do compositor. Os trabalhos foram feitos por 27 artistas, entre poetas, videomakers, músicos, cineastas, programadores e designers, com curadoria de André Vallias.

De acordo com Gilberto Gil, a pluralidade da exposição dialoga com a trajetória de sua carreira. “A Tropicália e várias coisas que fizemos e de que participamos tiveram ligações com vários campos de outras artes, como cinema, literatura, a poesia e as artes plásticas.” Para ele, a ideia foi maravilhosa. “É um presente que eles estão me dando. Sinto-me confortável no meio desse abraço enorme”, disse.

Marta também elogiou o formato da exposição que, segundo ela,  “trata do artista Gilberto Gil, de como sua maneira de pensar a arte, através de suas canções, influenciou todas as outras expressões artísticas e artistas brasileiros e do exterior”

A mostra está organizada em três pavimentos, no Itaú Cultural (SP)

Organizada em três pavimentos, a exposição inclui displays com comentários de Gil sobre 70 composições, suas letras e áudio, além de depoimentos e fotos do acervo pessoal do músico baiano.

Participam da exposição: Carlos Adriano, Ricardo Aleixo, Arnaldo Antunes, Lenora de Barros, Vivian Caccuri, Adriana Calcanhotto, Augusto de Campos, Ivan Cardoso, Antonio Dias, Eduardo Denne, Bené Fonteles, Lula Buarque de Hollanda, Jarbas Jácome, Gabriel Kerhart, Raul Mourão, Carlos Nader, Antonio Peticov, Gualter Pupo, Omar Salomão, Daniel Scandurra, Ariane Stolfi, André Vallias, Caetano Veloso, Andrucha Waddington e Luiz Zerbini.
Leia o discurso da ministra na íntegra

Ministério da Cultura

publicidade