SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Sai o resultado do 8º Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/03/2013 17:35 / atualizado em 08/03/2013 18:17

 O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM/PR), o Ministério da Educação (MEC) e a ONU Mulheres divulgam hoje (8/3), Dia Internacional da Mulher, os nomes das (os) ganhadoras (es) da 8ª edição do Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero. Este ano, o certame recebeu 5.134 inscrições sendo 304 da categoria Estudante de Graduação; 417 da categoria Graduado, Especialista e Estudante de Mestrado; 237 da categoria Mestres e Estudante de Doutorado; 4.100 da categoria Estudante do Ensino Médio, e 76 da categoria Escola Promotora da Igualdade de Gênero.  Esta edição bateu recorde no número de inscrições com relação aos anos anteriores, com números expressivos em todas as categorias.

INSCRIÇÕES NO PRÊMIO CONSTRUINDO A IGUALDADE DE GÊNERO – 2005 - 2012

Categoria

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

TOTAL

Estudante do Ensino Médio

1270

1284

620

2299

2976

3951

3376

4105

19881

Estudante de Graduação

141

154

171

218

271

197

203

304

1659

Graduado

-

-

429

485

-

-

-

-

914

Estudante de Pós-Graduação

176

207

-

-

-

-

-

-

383

Graduado, Especialista e Estudante de Mestrado

-

-

-

-

283

267

218

417

1185

Mestre,  Estudante de Doutorado

-

-

-

-

156

145

122

237

660

Escola Promotora da Igualdade de Gênero

-

-

-

-

17

12

46

76

151

TOTAL

1587

1645

1220

3002

3686

4572

3965

5139

24833

Fonte: Secretaria de Políticas para as Mulheres, Brasília/DF, Outubro de 2012.

O prêmio tem por objetivo estimular e fortalecer a reflexão crítica e a pesquisa acerca das desigualdades existentes entre homens e mulheres no país, contemplando suas intercessões com as abordagens de classe social, geração, raça, etnia e sexualidade no campo dos estudos das relações de gênero, mulheres e feminismos. A premiação consiste de R$ 46 mil em dinheiro para estudantes e graduados, R$10 mil para cada escola promotora da igualdade de gênero, Laptops, computadores e nove bolsas de estudo do CNPq, nas modalidades de Iniciação Científica até o Doutorado. Os professores orientadores recebem assinatura anual da Revista Estudos Feministas e Cadernos PAGU. Agraciados(as) com o 8º Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero: Na categoria MESTRE E ESTUDANTES DE DOUTORADO: Juliana Cristina Teixeira, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com o artigo “As patroas sobre empregadas: discursos classistas e saudosistas das relações de escravidão”, sob a orientação do Prof. Alexandre de Pádua Carrieri.  Carolina Braz de Castilho e Silva da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com o artigo “Gênero e Pluriatividade na Agricultura Familiar do Rio Grande do Sul: um estudo sobre Veranópolis e Salvador das Missões”, sob a orientação do Prof. Sérgio Schneider. Na categoria GRADUADO, ESPECIALISTA E ESTUDANTE DE MESTRADO: Mariana dos Santos Parrada Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) com o artigo “Direitos Humanos e Direitos Coletivos – a violência doméstica e as mulheres indígenas no Brasil”, sob a orientação do Prof. Rinaldo Sérgio Vieira Arruda. Camilla da Silva Souzada Universidade Federal do Pará (UFPA) com o artigo “Ataíde, aquele que se serve do outro: narrativas que compõem o imaginário homoerótico de Bacuriteua (PA)”, sob a orientação do Prof. Flávio Leonel Abreu da Silveira. Na categoria ESTUDANTE DE GRADUAÇÃO: Luna Borges Pereira Santos da Universidade de Brasília (UnB) com o artigo “Diálogos entre feminismos e poder judiciário: a implementação da Lei Maria da Penha no DF como política pública de reconhecimento do direito das mulheres à não violência”, sob a orientação da Profª Lia Zanotta Machado. Helisangela Maria Andrade Ferreira da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) com o artigo “Entre Usos e Táticas: a participação das blusas verdes nos espaços público e privado na cidade do Recife (1932-1937)”, sob a orientação da Profª Giselda Britto Silva. Na categoria ESTUDANTE DE ENSINO MÉDIO

Etapa Nacional

UF

Nome da(o) Agraciada(o)

Título da Redação

Escola

Orientadora(or)

SP

Karine Rafaela Sampaio da Silva

A mulher de todos os tempos

EE Professor Vicente Ferreira dos Santos

Luiz Guilherme

MS

Tairine Aparecida Tiburcio de Oliveira

Mulheres Itacira resgatando Desigualdades

Escola Estadual Vespasiano Martins

-

MG

Leandro Ferreira Pires

O Homem que dança: vivenciando no corpo, o acordo e  desacordo.

Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - Campus Curvelo

Adriano Goncalves da Silva

Na etapa da Unidade da Federação

UF

Nome da(o) Agraciada(o)

Título da Redação

Escola

Orientadora(or)

AL

Danielle Stéphanny Pereira de Alcântara

O Confronto

Instituto Federal de Alagoas - Campus Arapiraca

-

BA

Bruna Lais dos Santos

Mãe Maria, uma mulher do campo

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano Campus Santa Inê

Derneval Ferreira Andrade

ES

Camila Crivilin  de Almeida

Ó Abre Alas

Centro Educacional Leonardo Da Vinci

Lucio Alves Vieira

MA

Mardiani da Silva de Alencar

Relatos de Marias

 

 Instituto Federal de Educação e Tecnologia do Maranhão - Campus de Codó

-

AP

Igor Costa

A equidade de Gênero: Uma nova luta de igualdade entre sexos nas profissões

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá - IFAP

Karoline Fernandes Siqueira

PA

Natália Freitas Araújo

 O fim da Fragilidade Feminina

Centro Federal de Educação Tecnológica do Pará

Miranilde Oliveira Neves

PE

Daniele Bruna Belarmino Ferreira

O Ser humano, o estranho ímpar

Colégio Grande Passo

Josete Oliveira Targino

PI

Renato Souza Vieira

Três de Maio de 1932

Escola Santa Angélica

-

PR

Henrique Gabriel Barroso

 A prisão de minha vida

Colégio Universitário

Sandra Arcuri

RJ

Ana Carolina Corrêa Pereira Haber

O Jogo da Minha Vida

Colégio de Aplicação da Fundação Educacional de Macaé

Paulo Henrique Dantas Pinto

RN

Ana Karolina Vieira Holanda

Igualdade de Gênero no Brasil: apesar das conquistas, ainda há uma longa estrada a ser trilhada

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte

Aleksandre Saraiva Dantas

RS

Larissa D'Avila Bianchi

Os tempos em Luxemburgo

Colégio São José

Tatiane Kaspari

 

SC

Gabriela Dialencar Reitz

Quem se define se limita

Fundação Universidade Regional de Blumenau

-

TO

José Victo Pinto Dias

Batalhas e esforços: Ingredientes de grandes mulheres

Colégio Estadual Dr. Abner Araújo Pacini

Caroline Stephanie Aguiar

Na categoria ESCOLA PROMOTORA DA IGUALDADE DE GÊNERO foram escolhidos sete projetos pedagógicos.

UF

Nome

Projeto Pedagógico

PR

Colégio Estadual Astolpho Macedo Souza

ESCOLA PROMOTORA DA IGUALDADE DE GÊNERO

ES

Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - EMESCAM

PROJETO DE EXTENSÃO “DISCUTINDO GÊNERO, VIOLÊNCIA E SAÚDE NO PROGRAMA ESCOLA ABERTA”

MG

Escola Municipal Professora Stella Saraiva Peano

RELAÇÕES DE GÊNERO: CONSTRUINDO PONTOS DE VISTA NÃO  PRECONCEITUOSOS

TO

Centro de Ensino Médio de Gurupi

ESCOLA SEM HOMOFOBIA: REFLETINDO SOBRE CONCEITOS, PRECONCEITOS, POSTURAS E VALORES

PB

Escola Estadual de Ensino Fundamental Francisco Campos

EDUCAÇÃO PARA A EQUIDADE DE GÊNERO: MULHERES, PROTAGONISTAS DE SUA HISTÓRIA

PE

Escola de Referência em Ensino Médio Oliveira Lima

DISCUTINDO GÊNERO NA ESCOLA: O DESAFIO DA CONSTRUÇÃO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS EMANCIPATÓRIAS

RJ

Colégio Estadual Almirante Frederico Villar

WORKSHOP: DIVERSIDADE DE GÊNERO: mudanças de paradigma na sociedade contemporânea

Para avaliar os artigos científicos e redações foram constituídas duas Comissões Julgadoras, compostas por: Bila Sorj (UFRJ); Ana Paula Vosne Martins (UFPR); Estela Maria Motta Lima Leão Aquino (UFBA); José Estáquio Diniz Alves (IBGE/RJ); Lúcia Mercês de Avelar (UNICAMP); Mary Jane Spink (PUC/SP); Miriam Pillar Grossi (UFSC); Olgamir  Amancia Ferreira, Secretária de Políticas para as Mulheres do Distrito Federal; Bruna Andrade Irineu (UFTO); Constantina Xavier Filha (UFMS); Dayana Brunetto Carlin dos Santos, Secretaria de Educação do Estado do Paraná, Isis Tavares Neves (CNDM); Mara Régia Di Perna, (EBC); Tânia Mara Campos de Almeida (UNB).   O Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero foi instituído, em 2005, pela Secretaria de Política para as Mulheres, no âmbito do Programa Mulher e Ciência, que tem como objetivos estimular a produção científica e a reflexão acerca das relações de gênero, mulheres e feminismos no País; e promover a participação das mulheres no campo das ciências e carreiras acadêmicas. Saiba mais:  http://www.igualdadedegenero.cnpq.br/ Acessoria de Comunicação Social do CNPq
Tags:

publicidade