SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Escolas de ensino integral terão R$ 100 milhões para investir em cultura

Programa que oferece o benefício foi lançado nesta terça pelos ministérios da Educação e da Cultura

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/05/2013 18:05 / atualizado em 21/05/2013 18:15

O Ministério da Educação e Ministério da Cultura lançaram, nesta terça-feira (21), o Programa Mais Cultura nas Escolas, que liberará R$ 100 milhões para as instituições públicas de ensino integral promoverem atividades culturais. Serão selecionados cinco mil projetos. Cada escola contemplada receberá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil, que serão usados em apresentações de teatro, música, dança, circo, artes visuais, cultura indígena, cultura afrobrasileira, além de atividades externas, como visitas a museus.

As inscrições começam nesta quarta-feira (22/5) e vão até 30 de junho. O resultado será divulgado no começo de agosto. Podem fazer o cadastro as 34 mil escolas de educação básica que participam dos programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador. "A jornada maior é o que permite desenvolver as atividades com mais qualidade", explica o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

"Vamos potencializar a difusão cultural. Muitos professores querem, mas não sabem como fazer", diz a ministra da Cultura, Marta Suplicy. De acordo com a ministra, o projeto é uma demanda tanto dos professores quanto dos artistas e agentes culturais. Eles poderão criar um plano de atividade cultural, envolvendo linguagens artísticas e manifestações da cultura.

Como a inscrição será feita apenas pelos diretores das escolas, os grupos de cultura que quiserem participar devem procurar as secretarias de Educação municipais e estaduais. As escolas serão escolhidas por um grupo de professores de universidades federais. Os projetos serão selecionados de acordo com o histórico de atuação dos grupos culturais e de acordo com a qualidade de cada um.

O ministro Aloizio Mercadante informou ainda que todos os estados e o Distrito Federal serão contemplados. Os projetos serão desenvolvidos pelas escolas, que terão de apresentar prestação de contas. As instituições de ensino precisarão enviar também fotografias e vídeos que provem a execução das atividades. "A escola que não enviar o registro pode não participar do próximo edital", alerta Mercadante.

Os recursos serão encaminhados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) pelo Programa Dinheiro Direto da Escola (PDDE).

publicidade